Projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro #83 – Marcelo Zocchio: Decência

Marcelo Zocchio apresenta o 83º ensaio do Projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro - Imagens que narram nossa história
Marcelo Zocchio. Decência 4

Decência, 2020.

Mais de cento e oitenta mil mortes contabilizadas oficialmente em decorrência da pandemia. Sabemos que muitas poderiam ter sido envitadas não fosse o descaso do atual desgoverno com a vida. Essa conduta está descaradamente representada na fachada da maioria das instituições do país que naturalizam as mortes e não se posicionam com o tradicional sinal de luto, baixando a meio mastro as bandeiras que ostentam em seus prédios.

Além das mortes pelo descaso com a pandemia, o Brasil carrega desde muito tempo, notórios índices de genocídio da população jovem, negra, pobre e periférica o que, infelizmente deveria levar o país a um estado de luto permanente. Decência.

#bandeirasameiomastro #luteapesardoluto #decência

Marcelo Zocchio. Decência
Marcelo Zocchio. Decência 2
Marcelo Zocchio. Decência 3
Marcelo Zocchio. Decência 5
Marcelo Zocchio. Decência 4
Marcelo Zocchio. Decência6
Marcelo Zocchio. Decência7
Marcelo Zocchio. Decência8
Marcelo Zocchio. Decência9
Marcelo Zocchio. Decência10

.

Para conhecer mais o trabalho do artista

www.marcelozocchio.com.br

https://www.instagram.com/marcelozocchio/

https://www.facebook.com/marcelo.zocchio

.

O projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro é um projeto dos Jornalistas Livres, a partir de uma ideia do artista e jornalista livre Sato do Brasil. Um espaço de ensaios fotográficos e imagéticos sobre esses tempos de pandemia, vividos sob o signo abissal de um governo inumanista onde começamos a vislumbrar um porvir desconhecido, isolado, estranho mas também louco e visionário. Nessa fresta de tempo, convidamos os criadores das imagens de nosso tempo, trazer seus ensaios, seus pensamentos de mundo, suas críticas, seus sonhos, sua visão da vida. Quem quiser participar, conversamos. Vamos nessa! Trazer um respiro nesse isolamento precário de abraços e encontros. Podem ser imagens revistas de um tempo de memória, de quintal, de rua, documentação desses dias de novas relações, uma ideia do que teremos daqui pra frente. Uma fresta entre passado, futuro e presente.

Outros ensaios deste projeto: https://jornalistaslivres.org/?s=futuro+do+presente

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

A POSSE, COMO CULTURA

Augusto Boal (in memoriam 2002) nos lembra a importância da ocupação das ruas e espaços públicos pela cultura. E por meio dela, transmitir pelos sentidos – e não só pela razão – a transformação de palavras e promessas.