Projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro #36 – Felipe Beltrame: Fogo!

Felipe Beltrame apresenta o 36º ensaio do Projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro - Imagens que narram nossa história
Fogo!

Fogo! Para que essa história acontecesse, a fumaça não precisou viajar do norte para o sudeste e escurecer a tarde paulistana. Durante todo o domingo de 12 de junho de 2020, a floresta queimou na Terra Indígena Jaraguá.

O acesso aos locais atingidos pelo incêndio era difícil. Durante a noite, a escuridão em um terreno íngreme, brasas queimando ou o solo quente, marcavam a passagem do fogo pelo local e exigiram conhecimentos e habilidades exclusivas dos que pertencem àquela terra.

Enquanto tragavam a fumaça produzida pela Mata Atlântica carbonizada, os guardiões da floresta protagonizaram a sua salvação. Impelidos à proteção da mata que os cerca e sem infraestrutura adequada, indígenas espancavam as chamas utilizando galhos com folhagem verde até abafarem o fogo.

Em um dos momentos em que adentrávamos à floresta, comecei a me coçar, sentindo o incômodo de pequenos arranhões feitos por galhos e folhas. Ao ser percebido, a resposta veio de um dos indígenas do grupo: “Deixa coçar. Experimente sentir essa sensação. A vida na cidade deixa o homem branco desconectado da natureza e sentir essa coceira, esse incomodo, significa a fase de transição entre estados de espírito. Você vai perceber que, em breve, não sentirá mais nada e essa será a prova de que você conseguiu se conectar com a natureza”.

Em 2019 e 2020, acompanhamos relatos sobre os incêndios que avançaram sobre a Floresta Amazônica. Assistir e ouvir sobre as ações indígenas nestes episódios, revela parte da realidade por eles vivenciada durante esses mais de 500 anos de invasões e ataques. Escutar a expressão “guardiões da floresta” foi realmente impactante. Na Terra Indígena do Jaraguá, no extremo noroeste de São Paulo, capital, vi a força deste termo empregada em jovens indígenas. Viver essa experiência permitiu a natural constatação de que o povo indígena cuida de todos, quando protege a natureza.

Fogo!
Fogo!
Fogo!
Fogo!
Fogo!
Fogo!
Fogo!
Fogo!
Fogo!
Fogo!
Fogo!
Fogo!

.

Conheça mais o trabalho do artista:

www.felipebeltrame.com

https://www.instagram.com/felipebeltrame/

.

O projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro é um projeto dos Jornalistas Livres, a partir de uma ideia do artista e jornalista livre Sato do Brasil. Um espaço de ensaios fotográficos e imagéticos sobre esses tempos de pandemia, vividos sob o signo abissal de um governo inumanista onde começamos a vislumbrar um porvir desconhecido, isolado, estranho mas também louco e visionário. Nessa fresta de tempo, convidamos os criadores das imagens de nosso tempo, trazer seus ensaios, seus pensamentos de mundo, suas críticas, seus sonhos, sua visão da vida. Quem quiser participar, conversamos. Vamos nessa! Trazer um respiro nesse isolamento precário de abraços e encontros. Podem ser imagens revistas de um tempo de memória, documentação desses dias de novas relações, uma ideia do que teremos daqui pra frente. Uma fresta entre passado, futuro e presente.

Outros ensaios deste projeto: https://jornalistaslivres.org/?s=futuro+do+presente

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

A vida das crianças e adolescentes órfãos e a Pandemia no Brasil

A realidade de crianças e adolescentes órfãos de mãe, pai e avós chegam a aproximadamente 12 milhões no Brasil. As novas famílias vivem o luto, a pobreza e a fome. O silêncio e a ausência de políticas públicas apenas agravam com a Pandemia, uma situação que ainda continua crescente no país.

50 anos da visita de Nixon a Pequim: O Encontro que Mudou o Mundo

O encontro entre Mao Tsé-Tung e Richard Nixon há exatos 50 anos restabeleceu as relações bilaterais entre a China e os Estados Unidos depois de mais de duas décadas de distanciamento. A visita oficial deu início à “semana que mudou o mundo” – frase ecoada no mundo político até os dias de hoje -, redefinindo a rota geopolítica e econômica mundial, em um contexto de Guerra Fria e com consequências no desenvolvimento chinês e global.

Fraquê Matsunaga em painel na rua

Fraquê Matsunaga

Bem-vindos e bem-vindas ao “Café com muriçoca” – espaço de compartilhamento literário dos Jornalistas Livres. No texto de hoje, “Fraquê Matsunaga”, Dinha conta a história de um príncipe encantado em busca de uma esposa linda, nobre e recatada – para ser sua escrava doméstica-sexual.

Vacina é direito das crianças

No terceiro ano da pandemia e novamente todos se perguntam como será o retorno das aulas presenciais, especialmente tendo as vacinas retardadas para crianças em um gesto intencional e criminoso do governo federal.

>