Projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro #135 – Veetmano Prem: Eu, Aglomero na Pandemia Por Que?

Veetmano Prem apresenta o 135º ensaio do Projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro - Imagens que narram nossa história
Veetmano Prem, Aglomero 9

Eu, aglomero na pandemia por que?

Eu, aglomero na fila de busão, eu aglomero na feira pra comprar comida, eu aglomero na fila pra receber um prato de comida, eu aglomero indo pro trabalho porque se não vou, sou demitido, eu saio de casa porque sou obrigada, eu não tenho os previlegios dos afortunados que pedem comida, não vão ao trabalho, não andam de busão, mas aglomeram nos seus castelos com banquetes. Pandemia mostra o quando estamos nu.

Recife, Pernambuco, 2020/2021

Veetmano Prem, Aglomero 1
Veetmano Prem, Aglomero2
Veetmano Prem, Aglomero3
Veetmano Prem, Aglomero4
Veetmano Prem, Aglomero5
Veetmano Prem, Aglomero6
Veetmano Prem, Aglomero7
Veetmano Prem, Aglomero8
Veetmano Prem, Aglomero 8
Veetmano Prem, Aglomero 9
Veetmano Prem, Aglomero 10
Veetmano Prem, Aglomero 11
Veetmano Prem, Aglomero 12

.

Minibio

Descobrir o fotojornalismo ao 17 anos e enveredar nas coberturas de vários segmentos dos movimentos sociais me fez sentir que valeu muito. Um retratista nordestino que não focou na profissão, o lucro, mas um compartilhar.

Veetmano Prem / AgênciaJCMazella

.

Para conhecer mais o trabalho do artista

https://www.instagram.com/agenciajcmazella/

.

O projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro é um projeto dos Jornalistas Livres, a partir de uma ideia do artista e jornalista livre Sato do Brasil. Um espaço de ensaios fotográficos e imagéticos sobre esses tempos de pandemia, vividos sob o signo abissal de um governo inumanista onde começamos a vislumbrar um porvir desconhecido, isolado, estranho mas também louco e visionário. Nessa fresta de tempo, convidamos os criadores das imagens de nosso tempo, trazer seus ensaios, seus pensamentos de mundo, suas críticas, seus sonhos, sua visão da vida. Quem quiser participar, conversamos. Vamos nessa! Trazer um respiro nesse isolamento precário de abraços e encontros. Podem ser imagens revistas de um tempo de memória, de quintal, de rua, documentação desses dias de novas relações, essenciais, uma ideia do que teremos daqui pra frente. Uma fresta entre passado, futuro e presente.

Outros ensaios deste projeto: https://jornalistaslivres.org/?s=futuro+do+presente

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Hoje Maria Marighella é a entrevistada no Programa JORNALISTAS LIVRES ENTREVISTA. Atriz, mãe, militante e produtora cultural. Herdeira de uma família de tradição militante. Maria

Quem segura essa quebrada

Quem segura essa quebrada?

O Café com Muriçoca de hoje traz duas indicações de livros: “Viela Ensanguentada”, de Wesley Barbosa, e “O Pé que ficou naquela estação”, de Nina Barbosa.

A POSSE, COMO CULTURA

Augusto Boal (in memoriam 2002) nos lembra a importância da ocupação das ruas e espaços públicos pela cultura. E por meio dela, transmitir pelos sentidos – e não só pela razão – a transformação de palavras e promessas.