Projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro #101 – Ale Ruaro: Essenciais

Ale Ruaro apresenta o 101º ensaio do Projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro - Imagens que narram nossa história
Ale Ruaro, Essenciais 11
O Beijo no asfalto com Natalia Gonsales no teatro Arthur de Azevedo.

Essenciais.

“O mundo do trabalho já atravessava transformações profundas nos últimos anos. A digitalização de processos, a concentração de grandes oligopólios via fusões e aquisições, a precarização das relações tradicionais a partir de novos modelos de colaboração parecem modificar a vida em suas diferentes dimensões.

Com as políticas de isolamento social implementadas pela Covid-19, a velocidade e intensidade dessas mudanças acentuou-se ao limite: será que os escritórios e, em última instância, a concentração em cidades, faz-se mesmo necessária? Novas formas de organização surgem no horizonte, trazendo possibilidades de êxodo rural e retorno à natureza.

Algumas profissões, no entanto, permanecem praticamente intocadas. Essenciais ao dia-a-dia mais singelo, a vida do farmacêutico, do açougueiro, de frentistas no posto de gasolina nos lembram de um mundo analógico, material, urbano, sincopado. Ao lançar um olhar sobre esse cotidiano, somos confrontados com uma cidade que nunca parou. Com uma América Latina que sonha com os avanços trazidos pelas novas tecnologias, mas ainda profundamente marcada por dilemas, problemas e modus vivendis da era industrial e do século 20.”

GABRIELA LONGMAN, Culture&Arts journalist

Ale Ruaro, Essenciais1
Ale Ruaro, Essenciais2
Ale Ruaro, Essenciais3
Ale Ruaro, Essenciais4
Ale Ruaro, Essenciais5
Ale Ruaro, Essenciais6
Ale Ruaro, Essenciais7
Ale Ruaro, Essenciais8
Ale Ruaro, Essenciais9
Ale Ruaro, Essenciais10
Ale Ruaro, Essenciais 11
Ale Ruaro, Essenciais 12
Ale Ruaro, Essenciais 13
Ale Ruaro, Essenciais 14
Ale Ruaro, Essenciais 15
Ale Ruaro, Essenciais 16
Ale Ruaro, Essenciais 17
Ale Ruaro, Essenciais 18

.

Minibio

“Fotógrafo desde 1996, Ale Ruaro tem se dedicado nos últimos 3 anos aos retratos, quase que exclusivamente. Sempre em preto e branco suas imagens são construídas, sobretudo, em parceria com os fotografados, criando uma harmonia entre o rosto registrado e a luz que o lambe.

As fotografias de Ale têm na iluminação contrastada e densa uma das suas característica mais marcantes, fazendo os rostos ganharem contornos a la pintores holandeses, como Vermeer e Rembrandt. Ale fotografa pessoas do seu tempo com o olhar suave, amoroso e solidário de um artista do século XVII.”

Paulo Marcos de Mendonça Lima

.

Para conhecer mais o trabalho do artista

https://www.instagram.com/aleruaro/

https://www.facebook.com/aleruaro

www.aleruaro.com.br

.

O projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro é um projeto dos Jornalistas Livres, a partir de uma ideia do artista e jornalista livre Sato do Brasil. Um espaço de ensaios fotográficos e imagéticos sobre esses tempos de pandemia, vividos sob o signo abissal de um governo inumanista onde começamos a vislumbrar um porvir desconhecido, isolado, estranho mas também louco e visionário. Nessa fresta de tempo, convidamos os criadores das imagens de nosso tempo, trazer seus ensaios, seus pensamentos de mundo, suas críticas, seus sonhos, sua visão da vida. Quem quiser participar, conversamos. Vamos nessa! Trazer um respiro nesse isolamento precário de abraços e encontros. Podem ser imagens revistas de um tempo de memória, de quintal, de rua, documentação desses dias de novas relações, essenciais, uma ideia do que teremos daqui pra frente. Uma fresta entre passado, futuro e presente.

Outros ensaios deste projeto: https://jornalistaslivres.org/?s=futuro+do+presente

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Jornalistas Livres Entrevista: Maria Marighella

JL entrevista Maria Marighella, indicada nova presidenta da Funarte. Ela fala do desafio de participar do processo de reconstrução das políticas públicas culturais no Brasil pós-Bolsonaro

Hoje Maria Marighella é a entrevistada no Programa JORNALISTAS LIVRES ENTREVISTA. Atriz, mãe, militante e produtora cultural. Herdeira de uma família de tradição militante. Maria

Quem segura essa quebrada

Quem segura essa quebrada?

O Café com Muriçoca de hoje traz duas indicações de livros: “Viela Ensanguentada”, de Wesley Barbosa, e “O Pé que ficou naquela estação”, de Nina Barbosa.