Nem todos os ex-governadores do Rio foram presos

Ex-governadora do Rio foi a única, entre os anos de 1998 e 2018, que não foi presa

A prisão do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (MDB), fez a imprensa relembrar escândalos de corrupção envolvendo outros chefes do executivo fluminense. Alguns dos principais veículos da mídia hegemônica chegaram a noticiar que todos os governadores, desde 1998, terminaram atrás das grades. Esqueceram justamente de uma: a que não foi presa. Benedita da Silva, mulher negra, nascida na favela da Praia do Pinto e criada no Chapéu Mangueira.

Em 2002, quando assumiu, portanto há 16 anos, era comum ouvir comentários tolos e nada sofisticados sobre Benedita. Todos eles eram quase sempre absurdamente racistas.

Programas de humor debochavam na televisão de Benedita, a classe média odiava o português dela, que trocava frequentemente o L (de problema) por R – pronúncia típica do que a intelectual Lélia Gonzalez brilhantemente batizou de pretoguês, que é o português influenciado pelo iorubá e outros idiomas africanos, que nem sempre possuem entre os seus sons o da letra R. E o seu passado como empregada doméstica e lavadeira era frequentemente evocado pela parcela mais privilegiada da população para questionar a sua capacidade de governar o Rio.

Benedita era comumente chamada de macaca, analfabeta, corrupta e tantos outros termos justamente pelos eleitores que, depois, deram vitórias a Rosinha Garotinho (que venceu Benedita na disputa pela reeleição), Cabral e Pezão.
Foi parceira histórica dos movimentos LGBT quando o PT era praticamente a única sigla progressista que tocava no assunto na cidade do Rio, embora já tivesse se convertido evangélica, sempre se pautou por assuntos de interesse da população negra e, diferente de todos os nossos ex-governadores, com exceção de Brizola, fez várias vezes campanha nas favelas e sempre ouviu as vozes das comunidades.

Desprestigiada pela direção nacional do PT, que “entregou” o Rio para uma aliança com a direita, em troca do apoio do PMDB às chapas presidenciais de Lula e Dilma, invisibilizada e menosprezada mesmo tendo obtido votações na casa dos milhões de votos, essa mulher negra é uma das que veio na frente abrindo caminho para que outras, da geração de agora, passassem e usufruíssem de mais espaços na política.

Em 2018, Bené foi a única deputada federal eleita pelo PT do Rio, um partido em crise e que apostou muita grana em outros medalhões, como o Dr Wadih Damus e o burocrata Luiz Sérgio. Teve milhares de votos principalmente nas favelas.

É bom lembrar que tivemos Benedita no cargo de governadora e de como foi essa história. É comum apagarem a história de uma mulher negra. Não deixaremos. Definitivamente não é verdade que todos ex-governadores do Rio foram presos. Nós temos obrigação de fazer memória sobre Benedita da Silva!

Por: Rodrigo Veloso  e Márcio Anastacio

COMENTÁRIOS

  • Jamais esquecerei o discurso da Benedita na Câmara no dia que foi aprovado o Impeachment da Dilma,ela me levou às lágrimas,qdo de improviso defendeu a Dilma!

  • Acho que não apoiar Benedita no Rio foi um erro estratégico enorme.

  • As manchetes dizem “governadores eleitos”. Benedita não foi eleita. Ela foi vice de Garotinho e assumiu o governo em 2002, quando ele renunciou para disputar a presidência.

  • Omha só como são as coisas , eu realmente não me lembrava da Benedita. Eu sou da Bahia mas vou fazer essa correção pessoal e pesquisar seu mandato, sei que vão diser “ah mas vc nem carioca é ” eu eu digo mas sou brasileira e preciso prestar atençao nos meus governantes.

  • Ninguém fala nada da Bené realmente o governo dela não era mais bem aplaudido pela imprensa da época. Lembro dos Zeppelins mapeado do auto as comunidades a procura de informação que pudessem auxiliar as forças policiais nas suas incursões. Meu respeito Bené.

  • Se fosse assim Collor, Sarney, Aécio, FHC… seriam todos honestos. Né?

    Petista + ex-ministra do Lula + ex-governadora do Rio de Janeiro = honesta por ser a única ex-governadora que não foi presa.

    🤣👌🏻

    Ainda tem o bônus de que ela, na verdade, era vice do Garotinho, e assumiu quando ele foi preso. Ela ficou 9 meses e as contas foram rejeitadas pelo TCE-RJ. Então, houve troca de acusações entre ela e Garotinho pela responsabilidade nos rombos do governo. (obviamente, ambos culpados).

    Saiu do governo e foi ser Ministra do Lula, onde saiu após escândalo, por usar recursos públicos em um evento na Argentina.

    Recentemente teve bloqueio de bens e quebra sigilo fiscal devido ao um desvio de 32 milhões do qual é acusada de “improbidade administrativa” enquanto gestora da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, por fraudes em convênios entre a FUNDAR e ONGs com o Ministério da Justiça.

    É realmente impressionante como uma santa dessas não tenha sido presa.

    Só no Brasil mesmo…

  • Há um erro importante no teu texto.
    Benedita não foi desprestigiada. A não ser que o que ela praticou não fosse justo apenas para ela. Bené inaugurou a ideia do PT do Rio abrir mão da candidatura própria. E isto se deu em 1998, quando o PT fez o acordo com o PDT. Brizola exigia que o PT do Rio adotasse garotinho como candidato. Benedita junto com Jorge Bittar não aceitaram o resultado da convecção do PT do Rio que escolheu o Wladimir Palmeiras. Na convenção nacional, Lula, com apoio de Benedita e Bittar fez o partido abrir do que a convecção do Rio tinha decidido e, assim, acabou que o apoiram à Garotinho e assim conseguiram consolidar a aliança com Brizola. Mas com isto enfraqueceram o PT no estado. E olha que o partido na eleição anterior, para prefeito da capital, não chegou ao segundo turno por muito pouco, acho que por menos de um por cento.
    Resumindo: em 1998, o PT deixou de lançar candidato e Benedita foi indicada a vice de Garotinho. De resto, tirando isto, acho que o texto trata com justiça a ex-senadora

  • Excelente e justo texto! Bené deu soberbos exemplos de honestidade, fidelidade ao Rio de Janeiro e ao PT. Lamentável, após o esforço sem medidas que fez pra salvar o Rio da lamentável situação em que se encontra a Cidade Maravilhosa !

  • POSTS RELACIONADOS

    A hora do voto útil

    Não se trata mais de Lula ou PT. Se trata de dar um basta nesta loucura que o país se meteu

    Projeto Genocida não tem limite ou localidade geográfica

    O projeto de genocídio em curso que não se encontra apenas no Governo Federal. É parte de um modelo de Estado espalhado por todo o território nacional, inclusive nas prefeituras, com o apoio dos setores conservadores e da elite nacional e internacional. É nosso dever a unidade para garantir a resistência.

    >