Marcha da Maconha percorre as ruas do centro de Campinas (SP)

No sábado, 27 de maio, aconteceu em Campinas (SP) Marcha da Maconha de 2017  com o tema: “Prender pra quê? Fumar Sem Temer!”.  O ato levou dezenas de pessoas às ruas do centro da cidade no interior paulista, os manifestantes  pediam a legalização do uso da maconha e discutiam  a questão carcerária do Brasil relacionada  à criminalização da erva.

Encarcerar não garante mais segurança e não muda a realidade das ruas. Quanto mais se prende, mais violência se cria e  a mercê de um estado paralelo criado pelo crime organizado. O maior problema da proibição do uso de drogas não é o uso de drogas, mas a própria proibição, em si que gera o tráfico, é o que gera a violência.

Na atual legislação, cabe ao policial definir quem é usuário ou traficante,  existe o tráfico que  transporta drogas em aviões, helicópteros e passam impunes contrapondo com o traficante que  geralmente  é jovem negro, pobres e periférico  que são encarcerados com penas desproporcionais e revelam a face do racismo institucional.

A  legalização das drogas ou a adoção de penas alternativas para o pequeno traficante poderia liberar até 25% das vagas em presídios para combater a superpopulação carcerária no país.

Estudos  do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) publicados Atlas da Violência 2016 revela que há um aumento de quase 20% nos homicídios de negros na última década. No mesmo período, a taxa de assassinatos para não negros diminuiu em 15%.

Os manifestantes também defenderam o cultivo caseiro da maconha.

Por Fabiana Ribeiro – Jornalistas Livres

 

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

COMO IR A UMA MANIFESTAÇÃO EM 2021

Decálogo lítero-musical sobre boas maneiras sanitárias e políticas para ocupar as ruas na pandemia sem fim, enfrentar os fascistas no armário, não cair em armadilhas tolas e, por fim, sambar um pouquinho de alegria