Mais de três quartos dos homicídios de jovens em Belo Horizonte são contra negros

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Por Hemerson Morais

Foi lançado na última quarta (21) em Belo Horizonte, o Relatório de Prevenção à Letalidade Juvenil e Adolescente, desenvolvido pela Secretaria de Segurança e Prevenção. A data foi escolhida por ser o Dia Internacional de Combate ao Racismo no mundo.

Considerando-se a faixa etária entre 15 e 29 anos em recorte de 100 mil habitantes, o relatório aponta que a taxa de 173,8 em 2012 caiu para 91,1 em 2017. Porém, no somatório de pretos e pardos (considerado o total de negros), o percentual chega aos 76% do número de homicídios na capital mineira, sendo que mais de 84% são causados por arma de fogo.

O percentual é maior que em um comparativo a nível nacional (72,33%) e de cidades consideradas muito violentas, como Rio de Janeiro, onde a taxa é de 80%, segundo o relatório.

OJornalistas Livres conversou com a Deputada Federal Áurea Carolina (PSOL), com a Diretora Municipal de Políticas para a Igualdade Racial Makota Kisandembu e a Gerente Municipal de Prevenção à Criminalidade e Violência Juvenil, Etiene Martins, sobre a importância do relatório e quais os caminhos podem ser tomados a partir dele. Ouça abaixo:

O relatório pode ser lido na íntegra aqui.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

>