Lisboa em solidariedade ao Lula e aos brasileiros

Dezenas de pessoas se reuniram na Embaixada do Brasil, em Lisboa, em defesa do Lula. Foto: Bruno Falci

Durante as primeiras horas desta sexta-feira (6), dezenas de pessoas se reuniram na Embaixada do Brasil, em Lisboa, para protocolar um documento em defesa do Lula.

A iniciativa foi do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) e contou com a presença da deputada da Assembleia Nacional Portuguesa Rita Rato, do Partido Comunista Portiguês. Filipe Ferreira, vice-presidente do CPPC, leu o documento, que foi assinado por diversos coletivos, movimentos sociais, sindicatos, ONGs e partidos políticos; em seguida o entregou na embaixada.

Segue nota

Solidariedade com Lula da Silva e o povo brasileiro
Contra o golpe – pela democracia!

A negação do habeas corpus e a ordem de prisão contra Lula da Silva constituem mais um passo no desenrolar do golpe de Estado institucional no Brasil, iniciado com o afastamento, ilegítimo e escandaloso, da Presidente Dilma Rousseff, em 2016.

Uma acção que mais não visa do que impedir a candidatura de Lula da Silva às eleições presidenciais em Outubro e assegurar a continuidade de um Governo ao serviço de uma minoria opulenta e economicamente poderosa, perpetuando a desastrosa política que está a reverter e destruir tudo o que de mais positivo foi alcançado pelo povo brasileiro, nomeadamente em matéria de direitos sociais e melhoria das condições vida dos brasileiros, durante os mandatos presidenciais de Lula da Silva e Dilma Rousseff.

Urge assim dar expressão à mais ampla denúncia deste vergonhoso e gravíssimo processo antidemocrático, desmascarando igualmente a campanha de desinformação e manipulação mediática que lhe dá cobertura.

Deste modo, os abaixo-assinados,

  • repudiam e condenam com veemência o golpe institucional, as medidas arbitrárias e as acções de violência contra responsáveis e activistas políticos e sociais brasileiros e contra manifestações em defesa da democracia e pelo respeito dos direitos de Lula da Silva;

  • expressam a mais viva solidariedade ao povo irmão brasileiro e à sua luta para salvaguardar os direitos e garantias democráticas no Brasil e resistir a um poder crescentemente repressivo e autoritário.

Lisboa, 6 de Abril de 2018

Organizações subscritoras (até o momento):

A Voz do Operário
Associação “Os Pioneiros de Portugal”
Associação Água Pública
Associação Conquistas da Revolução
Associação de Amizade Portugal-Cuba
Associação de Intervenção Democrática
Associação dos Estudantes da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas
Casa do Alentejo
Colectivo Andorinha – Frente Democrática Brasileira de Lisboa
Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses – Intersindical Nacional
Confederação Nacional de Agricultura
Confederação Nacional de Reformados Pensionistas e Idosos
Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto
Conselho Português para a Paz e Cooperação
Ecolojovem – «Os Verdes»
Federação dos Sindicatos de Agricultura, Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal
Federação Intersindical das Indústrias Metalúrgica, Química, Farmacêutica, Eléctrica, Energia e Minas
Federação Nacional dos Professores
Federação Portuguesa dos Sindicatos da Construção, Cerâmica e Vidro
Frente Anti-Racista
Interjovem
Juventude Comunista Portuguesa
Juventude Operária Católica
Movimento Democrático de Mulheres
Núcleo do PT em Lisboa
Partido Comunista Português
Partido Ecologista «Os Verdes»
Pró-Vítimas
Projecto Ruído – Associação Juvenil
Sindicato dos Professores da Região Centro
Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local
Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal
Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e Regiões Autónomas
Sindicatos dos Trabalhadores da Hotelaria do Sul
União de Resistentes Antifascistas Portugueses
União de Sindicatos do Distrito de Santarém
União dos Sindicatos de Lisboa

Por: Bruno Falci e Maíra Santafé

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Fontes, Falas e Alas

A disputa de narrativas e da opinião pública entre a ala militar, a ala ideológica e as dissidências pela direita e extrema direita no Brasil