Chile: Gabriel Boric é eleito presidente

O candidato Gabriel Boric foi confirmado o próximo presidente do Chile. Antonio Kast, adversário da ultra direita neste segundo turno, já reconheceu a vitória.

Às 19h30, com 68,78% das urnas computadas, Boric tinha 55,18% dos votos, contra 44,82% de Kast.

O ex-líder estudantil será o presidente mais jovem do país, com 36 anos, e lidera a coalizão Apruebo Dignidad. A vitória de Boric vem na esteira das grandes manifestações populares iniciadas em 2019. Boric ganhou relevância nacional após as grandes manifestações de estudantes nos anos de 2011 até 2013.

A princípio por conta de questões de mobilidade urbana, as manifestações ganharam força na luta contra a desigualdade social no país e garantiram a realização de uma nova Constituição, que está sendo elaborada.

Kast, representante da extrema direita, se colocou como oposto ao novo presidente. Boric teve como principais bandeiras a defesa de pautas como o aumentar o acesso ao ensino público, democratização do acesso à saúde no Chile, programas de ajuda à agricultura familiar, liberdade das mulheres com relação ao aborto.

Kast, relacionado com o ex-ditador do Chile, Augusto Pinochet, teve seu irmão mais velho como ministro da ditadura. Também já declarou sua admiração pelo presidente Jair Bolsonaro. Seu programa de governo tinha como defesa mais abertura comercial e recrudescimento na repressão contra as manifestações, que se tornaram habituais no país.

Problemas para votar

Diversos eleitores reclamaram nas redes sociais sobre dificuldades de se locomover nas ruas da capital do Chile, Santiago. Muitos relataram problemas relacionados com transporte público, como falta de ônibus e atrasos no metrô.

Boric chegou a postar um vídeo denunciando a situação.

Apoios

A eleição de Boric foi vista como importante por diversos atores de esquerda na América Latina. O novo presidente do Chile recebeu apoio dos ex-presidentes Lula (Brasil), Pepe Mujica (Uruguai) e José Luis Sapatero (Espanha), do músico Roger Waters, da atual prefeita de Paris, Anne Hidalgo. A ex-presidente do Chile Michelle Bachelet também declarou voto em Boric.

Ex-presidente Lula com boné de Boric em São Paulo, na última sexta (17). Foto de Lucas Martins/ Jornalistas Livres

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

O que é social-liberalismo?

É fundamental que todos tenham nítido sobre qual escolha Lula fez para não se queixar sobre o peixe que comprou

>