Bolsonaro e Lula têm tratamentos diferentes em entrevistas ao Jornal Nacional

Perguntas a Bolsonaro foram frias; Lula foi sabatinado sobre corrupção e Globo defendeu agronegócio
Lula e Bolsonaro têm tratamentos diferentes no Jornal Nacional
Lula e Bolsonaro têm tratamentos diferentes no Jornal Nacional

Nesta semana, o Jornal Nacional realiza uma série de entrevistas com candidatos à presidência em 2022. Na segunda-feira (22), o entrevistado foi Jair Bolsonaro; ontem (25) foi a vez de Lula. Nas redes sociais, internautas apontaram que as perguntas foram tendenciosas: enquanto Bolsonaro foi conduzido a respostas prontas, Lula foi insistentemente questionado acerca de corrupção, e não de suas propostas de governo. Além disso, o agronegócio foi considerado “defensor do meio ambiente”.

Por Thaís Helena Moraes

A entrevista de Bolsonaro foi iniciada com questões sobre a incitação de golpe. O Jornal relembrou os ataques do presidente a ministros, às instituições democráticas, à vacina e à própria população sofrendo com a Covid-19. Durante o programa, William Bonner e Renata Vasconcellos quase imploram a Bolsonaro que se arrependa e assuma seus erros. Nas questões sobre economia, Bonner chega até a conduzir as respostas do candidato, que apenas concorda. Só ao final da entrevista os apresentadores tocam no tema corrupção.

William Bonner, a Bolsonaro: “Só para concluir, então, em um segundo mandato, o senhor daria sequência aos planos que foram estabelecidos e desenvolvidos no primeiro mandato?”

Na entrevista com Lula, a corrupção foi o primeiro tema, repetido à exaustão em todas as perguntas. O Jornal também questionou se o presidente Lula respeitará as instituições democráticas – o que o candidato afirmou fazer desde sempre. “Para mim, a seriedade das instituições é o que vai garantir o exercício da democracia neste país”, disse.

O agronegócio e meio ambiente foram temas abordados em ambas as entrevistas, mas de forma antagônica. Bolsonaro foi questionado sobre seu incentivo ao desmatamento e o que fará para mudar a visão negativa do Brasil no exterior – ao que o candidato mentiu que o Brasil é, na verdade, muito bem visto. 

Questionado sobre o Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra, Lula argumentou que hoje o Movimento é o maior produtor de arroz orgânico da América Latina. Além de ser essencial para o abastecimento do mercado interno, o Movimento planta com responsabilidade e respeito à natureza. Segundo Lula, o agronegócio não o apoia devido a suas políticas contra o desmatamento. Renata, então, saiu em defesa do agronegócio, grande patrocinador da Rede Globo

[Renata Vasconcellos]: “Mas o agronegócio e o meio ambiente caminham juntos.”

Em determinado momento, os apresentadores questionaram Lula sobre a suposta “intolerância” a seu vice,  Alckmin, dentro do PT. A intolerância, no entanto, não vem de dentro do PT, direcionado à direita, mas faz o movimento contrário. Ainda em 2018, o mestre de capoeira Moa do Katendê foi assassinado a facadas por um bolsonarista após declarar voto no PT. Mais recentemente, outro petista foi vítima de um crime de ódio bolsonarista em seu próprio aniversário. Bolsonaro, em contrapartida, não foi questionado sobre intolerância.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Lula e Xi: por nova ordem mundial

Coincidência vai além do terceiro mandato e é vista em discurso que desenha uma nova configuração da forças politicas no mundo, onde o protagonismo pode

Craque dentro e fora do campo

O centroavante Richarlison ganhou cerca de 4 milhões de seguidores em seu Instagram após fazer os dois gols na vitória do Brasil contra a Sérvia.