Venezuelanas ofendidas por Bolsonaro exigem retratação

Mães das meninas venezuelanas ainda se recusaram a gravar vídeo para campanha do presidente
Ato em Brasília contra a fala de Bolsonaro. Foto/Reprodução: Brenda Ortiz/G1
Ato em Brasília contra a fala de Bolsonaro. Foto/Reprodução: Brenda Ortiz/G1

Jovens venezuelanas ofendidas pelo Jair Bolsonaro (PL) em um podcast se recusaram a gravar vídeos para a campanha de reeleição do presidente após convide de Bolsonaro que tenta limpar sua imagem. A equipe de marketing de Bolsonaro queria que as meninas dissessem que toda a situação havia sido um mal-entendido e que divulgassem uma mensagem, sozinhas. Contudo, as crianças e suas mães, ficaram com medo de uma maior exposição desnecessária e do consequente desgaste as suas imagens que isso poderia gerar.

Por Camilla Almeida

Em entrevista, Bolsonaro falou sobre um suposto encontro que teve com jovens de 14 e 15 anos venezuelanas. Bolsonaro disse que as meninas eram prostitutas e se convidou para entrar na casa as jovens estavam. A visita, que foi registrada em uma transmissão ao vivo em suas redes sociais, instalou uma grande polêmica entorno do nome do presidente, já que o idoso de 67 anos disse que “pintou um clima” com as meninas de 14 anos. Expressões como “Bolsonaro pedófilo” e “Bolsonaro pervertido” ficaram nos assuntos mais falados do Twitter por vários dias.

Pessoas próximas às venezuelanas alertam sobre uma preocupação com a repercussão nacional e internacional das declarações de Bolsonaro e pediram um momento de retratação pública, mas sem que haja uma exposição de suas identidades. Após resistência e desconforto por parte das meninas, a alternativa encontrada pela campanha bolsonarista foi um encontro privado delas com a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, a ex-ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e senadora eleita Damares Alves.

De acordo com Damares, a reunião foi “um encontro de abraços”. “Elas não exigiram nada. São mulheres muito boas”, colocou a senadora. As mães das meninas ainda pediram uma retratação do presidente a respeito de suas falas, por medo da repercussão das declarações de Bolsonaro.

Em um vídeo divulgado em suas redes sociais na tarde desta terça-feira (18/10), Jair Bolsonaro, acompanhado de Michele, tentou se retratar sobre o assunto. “Se as minhas palavras, que por má-fé foram tiradas de contexto, de alguma forma foram mal-entendidas ou provocaram algum constrangimento às nossas irmãs venezuelanas, peço desculpas”, disse o presidente, se esvaindo da culpa de suas falas.

Na publicação, Bolsonaro, que as chamou de “prostitutas” antes, dá um passo para trás e afirma que a um suposto esquema de prostituição por “preocupação”, “no sentido de evitar qualquer tipo de exploração que estavam vulneráveis”.

COMENTÁRIOS

Uma resposta

Os comentários estão desabilitados.

POSTS RELACIONADOS

Como tratar os bolsonaristas daqui pra frente

É nossa obrigação humana e cidadã apontar o dedo para o nazifascismo e lembrar, diariamente, daqueles que coonestaram os quatro anos mais degradantes de nossa história republicana