MP de Santa Catarina investiga nazismo em saudação de bolsonaristas

Gesto parecido é usado pelo Exército no juramento à bandeira nacional; mas braços não se inclinam para cima, são mantidos na paralela ao chão
Bolsonaristas fazem gesto nazista enquanto cantam o hino nacional e usam camisas do Brasil - Foto: Reprodução
Bolsonaristas fazem gesto nazista enquanto cantam o hino nacional e usam camisas do Brasil - Foto: Reprodução

Nesta quarta-feira (2), passou a circular nas redes sociai um vídeo de uma manifestação em São Miguel do Oeste (SC) em que bolsonaristas fazem gesto nazista enquanto cantam o hino nacional e usam camisas do Brasil. A gravação foi feita em frente ao 14º Regimento de Cavalaria Mecanizado, base do Exército. O gesto é semelhante à saudação “Sieg Heil” utilizada na Alemanha nazista da década de 40. 

Por Júlia Galvão

Bolsonaristas bloquearam estradas e hoje concentraram-se defronte a quartéis, recusando-se a aceitar a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva na eleição presidencial deste ano. Eles também pedem uma intervenção militar. No município em que a gravação foi feita, Bolsonaro obteve 65,7% dos votos. 

O gesto apresentado no vídeo se assemelha também à saudação americana de Bellamy, que consiste na presença de uma braço estendido para comprovar a fidelidade dos cidadãos ao país. Contudo, ela foi substituída pela mão no coração por volta da metade da década de 40 devido a sua similaridade com a saudação nazista. 

A saudação é ainda semelhante ao gesto de juramento à bandeira brasileira, contudo, o gesto em questão é restrito apenas para a cerimônia das forças armadas e a posição dos braços é a de 90º, sendo paralela ao solo, diferente portanto da saudação feita por muitos bolsonaristas no vídeo compartilhado nas redes sociais.

O Ministério Público (MP) de Santa Catarina já começou a investigar o caso com o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO). A coordenadora do GAECO comenta que “Uma vez identificadas, será produzido um relatório e as informações encaminhadas pra 2ª Promotoria de Justiça da Comarca, que possui atribuição criminal, para responsabilização dos envolvidos”

A Confederação Israelita do Brasil pediu que a manifestação de São Miguel do Oeste seja investigada e que se identifiquem os apologistas do nazismo. “As imagens de manifestantes fazendo saudações nazistas em protesto em Santa Catarina são repugnantes e precisam ser investigadas e condenadas com veemência pelas autoridades e pela sociedade como um todo”, afirma a Conib em nota. “O nazismo prega e pratica a morte e a destruição.  A sociedade brasileira não pode tolerar posturas como essas”.

A nota acrescenta que o gesto desrespeita o passado das Forças Armadas, que combateram o nazismo na Europa durante a Segunda Guerra Mundial.

Apologia ao nazismo é crime no Brasil e se enquadra na lei 7.716/1989 que diz que é crime “Fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos, emblemas, ornamentos, distintivos ou propaganda que utilizem a cruz suástica ou gamada, para fins de divulgação do nazismo.” 

A pena para os envolvidos na ação é reclusão de dois a cinco anos e o MP de Santa Catarina não descarta os pedidos de prisão preventiva.

COMENTÁRIOS

3 respostas

  1. Não viajem.. esse gesto é o juramento à bandeira. Inclusive todas as escolas nos anos 90 faziam esse gesto enquanto cantávamos o hino.

  2. Estavam jurando em ato solene? Esse povo não tem noção da representatividade negativa que isso mostra pro resto do país e pro mundo? Se não teve a intenção por que não fizeram uma nota explicativa para eliminar qualquer margem de interpretação errônea?

POSTS RELACIONADOS

Quem vê corpo não vê coração. Na crônica de hoje falamos sobre desigualdade social e doença mental na classe trabalhadora.

Desigualdade social e doença mental

Quem vê corpo não vê coração.
Na crônica de hoje falamos sobre desigualdade social e doença mental. Sobre como a população pobre brasileira vem sofrendo com a fome, a má distribuição de renda e os efeitos disso tudo em nossa saúde.