Machão da PM se candidata pelo partido das mulheres

Conservador, policial militar diz que defende as mulheres, "mas não as pautas ideológicas feministas"
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Os militares parecem mesmo dispostos a ocupar todos os postos civis da República. Em Belo Horizonte, o Cabo Xavier teve a cara de pau de se candidatar a prefeito pelo Partido da Mulher Brasileira (PMB), justamente na cidade conhecida por ter bem mais mulheres do que homens. 

Por enquanto ele está ‘solteiro’, ou melhor, sem vice, que ainda não foi escolhido ou escolhida, um indicativo de que há falta mulheres no partido das mulheres em Minas. O nome para vice-candidato a prefeito do PMB está em aberto. A sigla busca uma composição com outros partidos para o cargo. Cabo Xavier tem 48 anos e é policial militar. Em 2018, ele foi candidato a deputado federal, mas não foi eleito.

 O militar diz que defende as mulheres, mas não as “pautas ideológicas feministas”. Questionado pelo repórter Rômulo Almeida do jornal O Tempo, ele disse que se há alguma contradição no fato de ele ser um candidato homem num partido que defende o direito das mulheres, Xavier rebateu baseando-se na sua carreira na segurança pública. “É uma relação nova, mas a luta pelas mulheres sempre existiu. Como policial militar, na minha carreira toda, fizemos vários atendimentos de proteção à mulher. A mulher ainda é vítima do nosso sistema. Na maioria das vezes, ela é colocada em segundo plano. Eu tenho mãe, esposa, filha e neta. Então, não há como não defender as mulheres. Eu não defendo as pautas ideológicas feministas, mas defendo a mulher como parte integrante e importante da sociedade”, afirmou. 

Estudante de Direito e formado em Teologia, Cabo Xavier é evangélico. “Sou da igreja Batista, minha esposa é da igreja Universal, e eu tenho acompanhado ela, mas me considero batista”, disse.

Cabo Xavier tenta entrar na política desde 2011 – Reprodução

Carreira 

Cabo Xavier começou na política em 2011, quando partiu para a criação do Partido da Defesa Social (PDS). Para isso, ele percorreu o país, mas as mudanças na legislação eleitoral acabaram impedindo a formação do partido. “Visitei 19 estados arregimentando correligionários para a sigla. Chegamos a ter mais de 280 mil fichas, porém, em 2015, houve mudanças na lei eleitoral, e perdemos todo o material”, afirmou. 

Em 2018, Xavier concorreu a deputado federal pelo PPL. Agora, antes de ser anunciado como candidato a prefeito da capital mineira pelo PMB, ele tentou negociar sua possível candidatura com os partidos PL e PMN.

Além de Belo Horizonte, a única capital onde o Partido da Mulher Brasileira disputará a prefeitura é Aracaju, com a advogada Juraci Nunes, de 27 anos. 

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

>