STF corrige o maior atentado contra a Justiça

Nota de Dilma Rousseff: O STF corrige o maior atentado contra a Justiça cometido na história do Brasil. Confirma que um juiz parcial e faccioso comandou um grupo de procuradores que abusavam de seu poder para fabricar acusações, condenar um inocente e destruir o estado democrático de direito.

“A Justiça venceu”Em dia histórico, e com placar alterado pela mudança de voto da Ministra Carmen Lucia, STF decide pela suspeição de Moro no caso Lula! E foi por 3 a 2, com Fachin e Nunes Marques, ministro indicado por Bolsonaro, foram derrotados.

A derrota representa o coroamento da resistência e das táticas adotadas pela luta dos militantes e lideranças populares que teimosamente nadaram contra a corrente. Nunca foi tão importante lembrar que a luta muda a lei.

A derrota da Lava Jato fragiliza a candidatura de Sérgio Moro e de Bolsonaro, que cada vez mais teme ter que enfrentar Lula em 2022.

Agora, finalmente se fez justiça para Lula.

E este tempo de trevas de nossa história vai passar….

Nota de Dilma Rousseff

O STF corrige o maior atentado contra a Justiça cometido na história do Brasil. Confirma que um juiz parcial e faccioso comandou um grupo de procuradores que abusavam de seu poder para fabricar acusações, condenar um inocente e destruir o estado democrático de direito.

A decisão histórica dos ministros Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Carmem Lúcia restabelece a verdade, invalida todas as decisões tomadas por Moro e seus subordinados e devolve a Lula a condição de inocente das acusações injustas que sofreu.

O caráter prepotente, discricionário e ilícito das práticas de um Juiz que conspirou contra o réu, mancomunado com um grupo de procuradores, recebeu um rotundo BASTA da mais alta corte do Judiciário brasileiro.

Apesar disso, o estrago que cometeram é irreparável: a interferência política para eleger um presidente neofascista, a destruição de grandes empresas e de milhões de empregos, a volta da fome e da miséria. Sobretudo, a complacência diante da doença e das mortes.

Moro e seus comandados devem ser julgados por seus crimes, com respeito ao devido processo legal e pleno direito de defesa, algo que sempre negaram a Lula.

Se fez justiça para Lula

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

POSTS RELACIONADOS

Os caminhos jurídicos do debate de suspeição no STF

Nesta quinta-feira (22/4), o Supremo Tribunal Federal irá concluir o julgamento do Habeas Corpus 193.726, decidido monocraticamente pelo ministro Edson Fachin no dia 8 de março, para analisar a parte dispositiva em que julgou extinto, por extensão de nulidade, o Habeas Corpus 164.493, que trata da suspeição do ex-juiz Sergio Moro, já julgado pela 2ª Turma do Tribunal no dia 23 de março

Nota da defesa de Lula após a “histórica” vitória

A defesa do ex-presidente Lula emitiu uma nota logo após a “histórica” vitória declarada no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quinta-feira. Nela, Cristiano e Waleska Zanin destacam que “a incompetência da Justiça Federal de Curitiba é afirmada por nós, advogados do ex-presidente Lula, desde a primeira manifestação escrita protocolada em Curitiba, em 2016, e foi sustentada em todas as instâncias do Poder Judiciário até chegar ao STF

Tânia Oliveira: O que está em jogo no STF no dia 14

Tânia Oliveira, da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) elucida as questões em aberto com julgamento de quarta-feira no Supremo. Confira o artigo “O julgamento no Supremo no dia 14 de abril em 5 perguntas e respostas”.

Lava Jato: armadilha (ou cilada) brasileira

Do jornal francês Le Monde Diplomatique. Alguma coisa parece podre no Brasil. O país inteiro parece estar sendo atingido por uma série de crises simultâneas como em uma tempestade perfeita. Economia, recessão, desastres ambientais, polarização política extremista, covid 19 e agora o naufrágio do sistema judicial.

7 de abril: três anos da prisão injusta de Lula

“3 anos da prisão injusta de Lula – o futuro do Brasil depois das decisões do STF”. Com este tema, o Comitê Nacional Lula Livre recebe dirigentes dos partidos de esquerda e de movimentos populares para uma live que relembra este triste episódio para a Justiça e a Democracia brasileiras. A transmissão vai ao ar nesta quinta-feira, 07, a partir das 17 horas, nas redes do Comitê e parceiros da Campanha Lula Livre.