Diário do Bolso: “se gritar ‘pega Centrão’, não fica um”

O general Augusto Heleno, que cantou “Se gritar 'pega Centrão', não fica um, meu irmão...”, agora diz que o Centrão nem existe. Acho que ele vai trocar a letra dessa música pra alguma coisa assim: “Se gritar ‘pega Centrão’, o governo inteiro levanta a mão...”

Diário, acho que vou ter que botar o Ciro Nogueira do Centrão como ministro da Casa Civil. E por dois motivos.

O primeiro é que eu preciso do Centrão do meu lado por conta da ameaça de impitimem. E o Ciro é um dos chefões do tráfico (de influência) por lá. Tanto que já recebeu uns R$ 150 milhões do tal do orçamento secreto.

O segundo é que o Ciro talvez precise ser ministro pra ter foro privilegiado, porque vai estourar um escândalo em que ele, o Arthur Lira e o Flavinho (meu garoto entra em todas, que orgulho!) estão envolvidos.

É o escândalo do transporte de vacinas, os tais pixulés que os irmãos Miranda disseram que o Pazuello não quis dar. O treco devia ter saído por R$ 1 milhão, mas saiu por R$ 18 milhões. A empresa envolvida é a VTC, que é uma abreviatura muito boa.

O Ciro Nogueira é velho de guerra. Se elegeu deputado pela primeira vez com 26 anos, pelo PFL, e o pai dele já era deputado. O garoto vem de berço de ouro.

Depois ele foi para o PP (grande partido!), onde estão também o Arthur Lira e o Ricardo Barros, dois que entendem do babado. Aliás, não tem partido que entenda mais do babado do que o PP. Eu sei porque fiquei 11 anos lá.

O Ciro também foi citado na Lava-Jato, mas acho que não vai dar em nada por lá. Por outro lado, nessa VTC, pode ser que ele VTC.

O Ciro já me chamou de “fascista”, de “preconceituoso” e falou que o Lula foi o melhor presidente desse país. Mas agora me defende mais que zagueiro central em fim de contrato. Todo mundo tem seu preço, talkei?

Um ou outro minion vai ficar decepcionado por eu entregar um ministério pro Centrão. Mas e daí? Quer que eu faça o quê? Eu não sou caloteiro, pô! Se o cara me segura no governo, eu preciso pagar ele de algum jeito.

O general Augusto Heleno, que cantou “Se gritar ‘pega Centrão’, não fica um, meu irmão…”, agora diz que o Centrão nem existe.

Acho que ele vai trocar a letra dessa música pra alguma coisa assim: “Se gritar ‘pega Centrão’, o governo inteiro levanta a mão…”.

José Roberto Torero é autor de livros, como “O Chalaça”, vencedor do Prêmio Jabuti de 1995. Além disso, escreveu roteiros para cinema e tevê, como em Retrato Falado para Rede Globo do Brasil. Também foi colunista de Esportes da Folha de S. Paulo entre 1998 e 2012.

#diariodobolso

A promessa se realizou?

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornalistas Livres

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

>