Carta aos Efésios: “Não roube mais!”

Por frei Gilvander Moreira[1]

Como subsídio para o mês da Bíblia de 2023, sobre a Carta aos Efésios, partilhamos mais um pequeno texto, o quarto, fruto de leitura atenta dos seis capítulos da “Carta aos Efésios”[1]. Destacamos alguns flashes ao longo da “Carta aos Efésios”, tais como, sejam pessoas humanas! Sejam pessoas novas!”, exorta-nos o autor da “Carta aos Efésios” em Ef 4,17-24. “Não vivam como os pagãos, cuja mente é vazia” (Ef 4,17b).

A palavra ‘pagão’ vem de ‘pagos’, que significa campos, lugares de grama, zona rural; em oposição a um ambiente urbano. Entretanto, em tom pejorativo, o termo “pagão” foi empregado ao longo de muitos séculos para discriminar “os de fora”, os estrangeiros, os que estão fora da nossa comunidade. Então, que tipo de “pagão” não pode ser exemplo de vida para nós segundo a “Carta aos Efésios”? Obviamente que não são os pagãos camponeses, mas quem vive enredado na teia da ideologia dominante do Império Romano com muitas idolatrias e com cultura escravocrata, que aviltava a dignidade humana reduzindo 80% do povo a escravo. Não vivam como estes que reproduzem um sistema de morte, diz nas entrelinhas a “Carta aos Efésios”. Quem repete ingenuamente fake news e posturas preconceituosas tem “mente vazia”, segundo a “Carta aos Efésios”.

Nos dois versículos seguintes, em Ef 4,18-19, é especificado que tipo de agir é denunciado como imoral e não ético: os que se regem pela “libertinagem e imoralidade”, os vassalos da ideologia dominante (“cegos”), os que tentam manipular Deus segundo seus interesses, os que não têm empatia (“coração endurecido”), os ignorantes, os insensíveis, os libertinos e imorais, enfim. A “Carta aos Efésios” diz, textualmente, para não termos como exemplos de vida, pessoas cuja inteligência “se tornou cega, e eles vivem muito longe da vida de Deus, porque o endurecimento do coração deles é que os mantém na ignorância. Eles perderam a sensibilidade e se deixaram levar pela libertinagem, entregando-se com avidez a todo tipo de imoralidade” (Ef 4,18-19).

Lute pela justiça sendo justo: eis a verdade. “Abandonem a mentira: cada um diga a verdade ao seu próximo, pois somos membros uns dos outros” (Ef 4,25). Esta exortação não diz respeito apenas a pronunciar verdades e evitar falar mentiras, fake news, mas diz respeito a uma postura ética que deve reger nossa forma de viver, conviver e lutar pela construção do reino de Deus a partir do aqui e do agora. “Falar a verdade” implica em ser verdadeiro/a, ético/a, colocar em prática o que diz, ter coerência entre o que diz e o que pratica. Ou seja, quem luta por justiça, para gritar por justiça de forma verdadeira, precisa ser justo. Quem abomina e repudia a corrupção e a violência precisa, para “falar a verdade”, ser e agir como pessoa ética e respeitosa, não pode bradar contra corrupção e ser pessoa corrupta.

Ao insistir sobre o abandono da mentira e carregar a verdade consigo, a “Carta aos Efésios” está exortando-nos para um agir ético, que revele coerência entre o que sai da nossa boca e nossas atitudes. Jesus Cristo falava com autoridade, porque n’Ele não havia contradição entre o que ele dizia e o que ele vivia na prática do dia a dia. Cultivando esta verdadeira sabedoria de vida, as comunidades cristãs orientadas pela “Carta aos Efésios” animavam a todos/as: “Estejam, portanto, bem firmes: cingidos com o cinturão da verdade, vestidos com a couraça da justiça” (Ef 6,14).

Sois membros uns dos outros!” (Ef 4,25b). Maravilhoso ver em um texto bíblico da última década do Século 1º da Era Cristã, muitos séculos antes do reconhecimento da interdependência entre as pessoas e com todos os seres vivos da criação, esta frase: “Sois membros uns dos outros!” (Ef 4,25b). Isto é, ninguém é uma ilha, ninguém é autossuficiente, ninguém é independente. Podemos e devemos ser autônomos/as, mas independentes, nunca. Todos nós somos interdependentes uns dos outros. Ai de nós sem os outros! Portanto, o outro (“meu próximo, minha próxima”), a alteridade, é que garante meu viver em abundância. É na relação dialógica, amorosa e respeitosa com o outro que revelo minha verdade, o meu ser autêntico. O fechamento em si é mentira, é caminho de morte, pois aniquila a nossa humanidade.

Roubo de nenhuma espécie! Veja outra sabedoria libertadora que a “Carta aos Efésios” nos dedica: “Quem roubava, não roube mais; ao contrário, ocupe-se trabalhando com as próprias mãos em algo útil, e tenha assim o que repartir com os pobres” (Ef 4,28). Eis outra exortação eminentemente ética da “Carta”. Óbvio que o sentido de “quem roubava, não roube mais” não se restringe à subtração de coisas das pessoas em uma sociedade desigual, o que comumente se entende como roubo, mas se refere, além disso, às relações sociais escravocratas que se reproduziam, cotidianamente, em todas as províncias e colônias do Império Romano. A força de trabalho e a dignidade das pessoas eram roubadas quando se submetiam as pessoas à escravidão e elas eram forçadas a trabalhar sem nada receber, além de uma alimentação precária. Pelo pagamento de uma pesadíssima carga tributária e uma série de taxas, também se roubava o povo de uma forma brutal.

Atualizando esta exortação a superar relações de roubo temos que dizer que, em uma sociedade capitalista, a classe dominante rouba, diariamente, a classe trabalhadora de mil formas: pela mais-valia que impõe o pagamento de salário, que é “apenas o sal para manter a/o trabalhador/a vivo/a” para ser supexplorado/a no dia seguinte;  pelo exagero de impostos embutidos em tudo o que se compra; pelo ‘cativeiro da terra’ e por falta de políticas públicas, que roubam direitos de acesso à terra, à moradia adequada, à saúde, à educação, à arte e cultura, a um ambiente sustentável. Todos esses tipos de roubos são repudiados pela “Carta aos Efésios”.

Obs.: No próximo texto, o quinto, continuaremos esta reflexão sobre a “Carta aos Efésios”.

4/7/23

Obs.: As videorreportagens nos links, abaixo, versam sobre o assunto tratado, acima.

1 – Andar no amor na Casa Comum: Carta aos Efésios segundo a biblista Elsa Tamez e CEBI-MG – Set/2022

2 – Toda a Criação respira Deus: Carta aos Efésios segundo o biblista NÉSTOR MIGUEZ e CEBI-MG, set 2022

3 – Chaves de leitura da Carta aos Efésios, segundo o biblista PEDRO LIMA VASCONCELOS e CEBI/MG –Set./22

4 – Estudo: Carta aos Efésios. Professor Francisco Orofino

5 – Carta aos Efésios: Agir ético faz a diferença! – Por frei Gilvander – Mês da Bíblia/2023 -02/07/2023


[1] Optamos por colocar entre aspas “Carta aos Efésios” ao longo do texto, porque em uma análise mais acurada constatamos que, de fato, não se trata de uma Carta e nem é destinada apenas à Comunidade Cristã de Éfeso.


[1] Frei e padre da Ordem dos carmelitas; doutor em Educação pela FAE/UFMG; licenciado e bacharel em Filosofia pela UFPR; bacharel em Teologia pelo ITESP/SP; mestre em Exegese Bíblica pelo Pontifício Instituto Bíblico, em Roma, Itália; agente e assessor da CPT/MG, assessor do CEBI e Ocupações Urbanas; prof. de Teologia bíblica no SAB (Serviço de Animação Bíblica), em Belo Horizonte, MG; colunista dos sites www.domtotal.com , www.brasildefatomg.com.br , www.revistaconsciencia.com , www.racismoambiental.net.br e outros. E-mail: [email protected]  – www.gilvander.org.br  – www.freigilvander.blogspot.com.br       –       www.twitter.com/gilvanderluis         – Facebook: Gilvander Moreira III

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornalistas Livres

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Uma crise fabricada

Lula será candidato forte à reeleição em 2026. E seus indicados terão maioria folgada no Banco Central de janeiro de 2025 em diante. Os adversários estão inquietos e fabricam crises.