Artistas, arteiros, indignados querem um outro país!

por Sato do Brasil - 18.01.2018

 

por Cecilia Figueira, especial para os Jornalistas Livres

Quando se batalha por uma causa a esperança se renova!

Carregado de emoção e indignação, o Ato em defesa da democracia e do direito de Lula se candidatar, realizado no dia 24.01.18 lotou as galerias da Casa de Portugal em São Paulo.

A condenação de Lula sem provas pelo TRF4, traduz a vontade das elites e de representantes da Casa Grande, de não permitir que as classes populares tenham esperança, lugar digno na sociedade, direitos sociais. É  a consolidação do golpe, a condenação de um projeto de país, é a condenação do cidadão comum ter direitos, voz e espaço no projeto de nação e de construção de país.

 

Articulado por artistas, intelectuais e militantes de partidos progressistas o Ato reuniu cidadãos de segmentos sociais diversos, inconformados com o estado de exceção, com a parcialidade do STF, com a corja de golpistas no governo federal e na Câmara, com a construção mentirosa da mídia, com a perda de direitos.

Pronunciamentos de juristas, artistas, lideranças populares, intelectuais e lideranças políticas progressistas, todos de diferentes tons e matizes, reforçaram seu compromisso com as causas populares, com a democracia, direitos humanos, com a liberdade de expressão e com a ética.

Depoimentos de pessoas que acolhidas em suas necessidades e em seus direitos, conquistaram dignidade humana através do impacto de políticas públicas em suas vidas, revelaram o verdadeiro motivo da condenação de Lula: – para as elites dominantes, o povo não pode deixar de ser subalterno, nosso povo não pode ter acesso ao conhecimento, o Brasil não pode ter independência e ser soberano, não pode deixar de servir aos interesses do 1o mundo, do capital financeiro e das multinacionais.

Por um fim na luta por um mundo de justiça, igualdade de direitos, solidariedade e democracia, esse é o verdadeiro motivo do Golpe e da tentativa de condenação de Lula.

Sato do Brasil – 18.01.2018

A garra, a lucidez, a tranquilidade e a disposição de luta da maior liderança popular de nossa história, desencadeou o medo das elites.

Lula, liderança incansável e com muita emoção, humor e lucidez reafirma a sua identidade com os anseios do povo, “a quem deve o que é”.

Diz ter saudades do projeto de construção de uma nação solidária:

  • da educação para todos: creches, escolas, escolas técnicas, universidades, pesquisa….,

  • da soberania nacional, do país andar de cabeça erguida,

  • da descoberta do pré-sal e da consolidação da Petrobras como a 2ª maior empresa do mundo, capaz de tirar o país da miséria

  • dos 40 milhões que saíram da extrema pobreza e puderam comer 3 refeições por dia,

  • do salário-mínimo valorizado,

  • da consolidação de direitos para as minorias.

Lula destaca que somos um povo alegre, mas “não somos passivos e mansos” e vamos continuar lutando por nossos direitos.

“A elite prega saúde para todos, se puderem pagar…., casa e terra se puderem comprar….”

“O que está em jogo é maior que o Lula, é a soberania nacional, é o povo poder andar de cabeça erguida….”

“Duvido que os juízes que irão me julgar tenham a tranquilidade com que eu estou”

“Sou o resultado da consciência política do povo brasileiro, que me escolheu e que quer ter o direito de votar em mim para presidente do Brasil”.

VAMOS À LUTA!

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Lula e Xi: por nova ordem mundial

Coincidência vai além do terceiro mandato e é vista em discurso que desenha uma nova configuração da forças politicas no mundo, onde o protagonismo pode