VERGONHA! FUNAI PERSEGUE SONIA GUAJAJARA

Vergonha! FUNAI a serviço de Bolsonaro persegue a líder indígena Sonia Guajajara. Órgão criado para proteger e promover os direitos dos povos indígenas agora é quem quer calar as denúncias do genocídio dos povos tradicionais na pandemia


O presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), delegado da PF Marcelo Augusto Xavier da Silva, colocou seus colegas policiais para intimidar uma das mais importantes e reconhecidas lideranças indígenas do País, Sonia Guajajara, da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib).

Por Laura Capriglione


O argumento: Sonia e a Apib teriam difamado o governo de Jair Bolsonaro na série “Maracá”, um conjunto de 8 episódios veiculados pelo Youtube no final do ano passado, com denúncias de violações de direitos cometidas contra os povos indígenas no contexto da pandemia da Covid-19.

É a primeira vez, desde sua criação em 1967, que a Funai é usada para perseguir líderes indígenas, em vez de protegê-los. “Não irão prender nossos corpos e jamais calarão nossas vozes. Seguiremos lutando pela defesa dos direitos fundamentais dos povos indígenas e pela vida”, afirmou a Apib em nota.

CURRÍCULO DE VIOLÊNCIAS

Marcelo Augusto Xavier da Silva é um sujeito violento. Segundo a BBC Brasil, ele teve de prestar dois concursos para delegado da Polícia Federal, porque foi rejeitado na avaliação psicológica do primeiro dos concursos que prestou. “Os examinadores consideraram que a personalidade de Marcelo não era adequada ao cargo, já que policiais não podem ser pessoas excessivamente agressivas ou impulsivas”.

Em janeiro de 2019, o presidente da Funai, que foi escolhido pessoalmente por Jair Bolsonaro, foi denunciado pelo próprio pai, então com 71 anos, por ter-lhe desferido um soco no rosto. O pai de Marcelo Augusto Xavier da Silva fez boletim de ocorrência na delegacia Novo São Joaquim (MT).

Pode ser pior? Pode!

Quando era policial federal, sua atuação foi contestada em duas investigações internas da corporação, em uma delas por suspeitas de estar colaborando com os intrusos de uma terra indígena.

Tanta confiança têm os inimigos dos povos indígenas na atuação de Marcelo Augusto Xavier da Silva que ele chegou a ser nomeado para trabalhar como assessor do pecuarista e secretário de assuntos fundiários do Ministério da Agricultura, Nabhan Garcia, ex-presidente da UDR, inimigo da reforma agrária e da demarcação de terras indígenas, antes da conquistar seu troféu maior: a presidência da Funai.

por Matheus Alves

Com esse histórico de vida, não é difícil entender por que a Funai pediu à PF que persiga e tente intimidar Sonia Guajajara.

Ele é um legítimo herdeiro dos genocidas bandeirantes, que seguem levando a morte, a doença e a dor às terras indígenas.

Por isso, Jornalistas Livres irmanam-se à luta de Sonia e da Apib. E exigem o fim da perseguição.

por Matheus Alves

Aproveitamos para divulgar a todos os internautas a série de vídeos que tanto incomodou a Funai.

Assista, divulgue. Não vão calar a voz da Resistência!

por Matheus Alves

Trailer:

Episódio 1:

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Cessar um genocídio: artistas pelo impeachment

Artistas pelo Impeachment fazem lançamento público de seu Manifesto num Encontro Virtual na próxima Segunda (10), às 18hs, pelo face, twitter e youtube dos jornalistas livres.
Já estão confirmados para o Encontro Virtual de Segunda-feira (10), às 18hs, ao vivo com artistas apoiadores como Ailton Graça, Ailton, Krenak, Anna Muylaert, Avelin Buniacá Kambiwá, Dira Paes, Edgard Scandurra, Eliane Brum, Elisa Lucinda, Emicida, GOG, Ivan Lins, Lucas Afonso, Luis Miranda, Malu Gali, Marcello Airoldi, Março Ricca, Maria Bopp, Matheus Nachtergaele, Nuno Ramos, Paulo Betti, Preta Ferreira, Renata Carvalho, Sandra Nanayna, Taciana Barroso e Zeca Baleiro, dentre possíveis outros.

1º de Maio: Carreatas pelo Fora Bolsonaro em SP

1º de Maio/SP: Carreatas dos trabalhadores serão solidárias e pedirão Fora Bolsonaro.Ações estão sendo organizadas por todo Estado de São Paulo no período da manhã; Participantes irão coletar alimentos e outras doações para famílias em situação de fome.
Nesta sexta-feira (30), às 17h, a CUT São Paulo junto com as centrais sindicais paulistas: CSP Conlutas, CTB, CUT, Intersindical Central da Classe Trabalhadora e Intersindical Instrumento de Luta e os movimentos sociais e populares que integram as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, realizam um grande Ato Virtual Unificado com transmissão nas páginas de Facebook das centrais, sindicatos e frentes.

>