Veja a proposta do TRT que garante os direitos dos professores das escolas particulares paulistas

Luta garante direitos e impede que Reforma Trabalhista de Temer seja aplicada nas escolas particulares

Resultado da audiência Sindicato patronal e Sinpro ( sindicato dos professores das escolas particulares) no TRT:

Em audiência realizada no Tribunal Regional do Trabalho na tarde deste terça-feira, 05/05, o presidente do SIEEESP, sindicato patronal,  negou que havia feito qualquer acordo com o presidente do SINPRO SP. Mas caiu em contradição várias vezes, muito por conta do seu nervosismo.

Na tentativa de conciliação o Juiz o desembargador Fernando Álvaro Pinheiro fez uma nova proposta para assinatura de Convenção Coletiva. Ela precisa ser submetida à assembleia das escolas e à assembleia dos professores.

A proposta que o desembargador classificou como uma ‘cláusula de paz’ prevê renovação integral da Convenção por um ano, reajuste salarial pela inflação – 2,14% e participação nos resultados de 15%.

Os sindicatos, tanto patronal quanto de professores deveriam levar para suas assembleias com a missão de aprovar.

Mídia democrática, plural, em rede, pela diversidade e defesa implacável dos direitos humanos.

Categorias
DestaquesEducaçãoGeralSão Paulo

Mídia democrática, plural, em rede, pela diversidade e defesa implacável dos direitos humanos.
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish