Diário do Bolso: a vacina contra o “nove dedos”

Diário, ontem eu fiz um pronunciamento em cadeia (nem gosto de escrever essa palavra) nacional. PS: Pra piorar, mesmo com o voto do KássioConká, o Nove Dedos escapou e vai disputar comigo em 2022. A cara de periquito da Cármen Lúcia estragou tudo!

Por José Roberto Torero*Diário, ontem eu fiz um pronunciamento em cadeia (nem gosto de escrever essa palavra) nacional.

Ah, como eu odeio ler aquele tal de telepompi…, trelepomp…, telerpom…, ah, aquelas letrinhas. É só olhar pros meus olhos que qualquer um percebe que eu tô lendo. E como é difícil pronunciar “solidarizo-me”. Acho que nunca tinha usado essa palavra antes.

Bom, ontem eu falei muita coisa e não disse outro tanto.

Por exemplo, falei que somos o quinto país que mais vacinou, mas não disse que estamos em setentésimo-terceirolugar pela porcentagem da população.

Falei que já vacinamos sei lá quantos milhões de pessoas, mas não disse que 80% das vacinas foram do Calça Apertada.

Falei que fechei acordo com a Pfizer, mas não disse que dispensei os pfizeristastrês vezes no ano passado, o que atrasou um bocado a nossa vacinagem.

Falei que a Covax está chegando, mas não disse que pedi vacinas para apenas 10% da população, quando podia ter pedido para 50%.

Não falei de máscara, não falei de isolamento social e não falei no número de vítimas. Nem no de ontem, mais de três mil, nem no total, uns trezentos mil. Essas coisas é melhor nem lembrar, porque vai parecer que eu tenho alguma coisa a ver com elas.

Olha, Diário, eu fiz um discurso bem diferente, porque teve mais coisa que eu não falei do que coisa que eu falei.

Acho que inventei o “desdiscurso”.

#diariodobolso

José Roberto Torero é autor de livros, como “O Chalaça”, vencedor do Prêmio Jabuti de 1995. Além disso, escreveu roteiros para cinema e tevê, como em Retrato Falado para Rede Globo do Brasil. Também foi colunista de Esportes da Folha de S. Paulo entre 1998 e 2012.

PS: Pra piorar, mesmo com o voto do KássioConká, o Nove Dedos escapou e vai disputar comigo em 2022. A cara de periquito da Cármen Lúcia estragou tudo!

o nariz cresceu no pronunciamento em cadeia nacional

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Diário do Bolso: “se gritar ‘pega Centrão’, não fica um”

O general Augusto Heleno, que cantou “Se gritar ‘pega Centrão’, não fica um, meu irmão…”, agora diz que o Centrão nem existe. Acho que ele vai trocar a letra dessa música pra alguma coisa assim: “Se gritar ‘pega Centrão’, o governo inteiro levanta a mão…”

Diário do Bolso: entupido e não cheirando bem

Os canhotos riem, mas esse meu entupimento veio bem a calhar. Como estou com cagaço de enfrentar essa CPI da covid, aproveitei o meu estado descocomentoso pra me fazer de vítima. Aquela foto de mim cheio de tubo já foi isso. Porque o meu marquetim é esse: quando não tô matando, tô morrendo.

Diário do Bolso: a esquerdalha ri do meu soluço, hic

Teve um sujeito que, hic, disse que o Lira tinha que botar o, hic, pedido de impitimem em pauta, que aí o susto, hic, ia me curar. E outro respondeu que melhor ainda seriadizer que, hic, tinham recuperado as, hic, mensagens do celular do Dominghetti.