Tarcísio tem encontro com Nise Yamaguchi, indiciada na CPI da COVID-19 e defensora da cloroquina

Aliança provocou dúvidas a respeito da possibilidade de Nise ocupar a Secretaria da Saúde; Tarcísio nega que isso possa acontecer

Na última terça (11), Tarcísio (Republicanos), candidato ao governo de São Paulo, esteve em uma reunião no Hospital das Clínicas que contava com a presença de Celso Russomanno (Republicanos) e de Nise Yamaguchi (PROS), oncologista e defensora do “tratamento precoce”. Nise fez parte da CPI da COVID-19, a médica foi convidada para depor e acabou sendo indiciada por defender o uso de cloroquina, mesmo quando essa foi cientificamente comprovado como ineficaz. 

Por Júlia Galvão

Nessas eleições, Nise Yamaguchi tentou se eleger como deputada federal, recebendo mais de 36 mil votos, mas não foi eleita. A candidata faz parte de alguns dos médicos pró-cloroquina que receberam verbas federais

Após o encontro, questionamentos foram levantados a respeito da possibilidade de Nise receber o cargo de Secretária da Saúde, caso Tarcísio seja eleito governador. O candidato negou essa possibilidade e declarou que tem preferência pelo ex-deputado Eleuses Paiva (PDT). “Teve um nome que coordenou meu programa de governo na área de saúde e só não vai ser [secretário da Saúde] se não quiser. Quem coordenou meu programa de saúde foi o doutor Eleuses Paiva, que foi presidente da Associação Paulista de Medicina (APM), Associação Médica Brasileira (AMB), tem muita tradição, então é minha preferência hoje para a Secretária da Saúde”, afirmou.

Em julho de 2020, a Associação Médica Brasileira (AMB) soltou uma nota que defendia a autonomia dos médicos com relação ao tratamento da COVID-19, já que não existiam “estudos seguros, robustos e definitivos sobre a questão”. A associação também declarou, no período, que  “O derby político em torno da hidroxicloroquina deixará um legado sombrio para a medicina brasileira, caso a autonomia do médico seja restringida, como querem os que pregam a proibição da prescrição da hidroxicloroquina”. 

Somente em março de 2021 a associação passou a condenar o uso de medicamentos que não apresentam comprovação de sua eficácia (caso da cloroquina). Tarcísio vem tentando, em sua campanha,  declarar-se como candidato moderado, mesmo sendo um dos principais aliados de Jair Bolsonaro e ex-ministro da Infraestrutura no governo do candidato à reeleição da presidência. 

Eleuses Paiva, possível secretário da saúde no governo de Tarcísio, orientava a população a respeito do uso de máscaras e de cuidados com a COVID-19. O candidato ao governo de São Paulo nega as negligências do Governo Federal com relação à pandemia e comenta, durante debate para a TV Cultura, que a imunização no país “foi um sucesso”. 

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

A cor do golpe

Os discursos de ódio a conta gota, institucionalizaram-se. Eles destilam o ódio a negros, mulheres, LGBTIQIA+, nordestinos e pcd’s.