Roger Waters, do Pink Floyd: “Vá se f…., Mark Zuckerberg”

The Wall: um grito de Liberdade, por Roger Waters
The Wall: um grito de Liberdade, por Roger Waters

Mark Zuckerberg tenta comprar a música “Another Brick in the Wall”, símbolo da juventude libertária, para fazer propaganda do Instagram e do Facebook, e recebe do baixista e compositor do Pink Floyd, Roger Waters, a única resposta possível!

Uma das canções mais importantes da história do rock é “Another Brick in the Wall”, da banda Pink Floyd. “The Wall”, o muro, representa as barreiras intransponíveis, os abusos morais e a opressão que condenam a infância e a juventude à amargura, a depressão, ao isolamento e à solidão. O baixista Roger Waters, o cara que compôs “Another Brick in the Wall”, é um defensor das liberdades, é de esquerda, é um opositor incansável da opressão. Coerentemente, por exemplo, defendeu Lula, quando de sua prisão injusta na Polícia Federal de Curitiba.

Pois não é que o todo-poderoso dono do Instragram e do Facebook, Mark Zukerberg, ousou (sim, porque é uma ousadia) tentar comprar a consciência de Roger Waters, oferecendo-lhe “uma enorme, enorme quantidade de dinheiro” pela música que é um símbolo da juventude libertária?

Waters mostrou a carta que recebeu de Mark Zuckerberg no último sábado (12 de junho), quando participava de uma conferência do “Free Assange Forum” que, como o nome já diz, trata-se de uma articulação internacional que luta pela liberdade de Julian Assange, o hacker do Wikileaks, que divulgou os crimes cometidos pela CIA e pelo governo dos Estados Unidos.

Exemplo do corajoso trabalho do Wikileaks, que valeu a Assange o ódio eterno da máquina de guerra americana, foi o vídeo divulgado em 2010, que mostra o ataque de um helicóptero Apache estado-unidense, matando pelo menos 12 pessoas, entre as quais dois jornalistas da agência de notícias Reuters, em Bagdá, durante a ocupação do Iraque.

E Roger Waters respondeu publicamente a Zuckerberg: “Vá se foder! Nem fodendo! E só exponho isso porque há um movimento insidioso deles pela posse de absolutamente tudo”, disse. “Eles querem usar a música para fazer com que o Instagram e o Facebook sejam ainda mais poderosos do que já são, para que possam continuar censurando as pessoas aqui nesta sala e evitar que se conheça a história de Julian Assange!”

Para Roger Waters, Zuckerberg é um dos mais poderosos idiotas do mundo!

E não há como ignorar que o muro, hoje, é representado de maneira perfeita pelas redes sociais, Instagram e Facebook em destaque, que são as grandes prisões que oprimem com fake news e assédios de vários tipos, a luta pela Liberdade no planeta.

Assista: Another Brick in the Wall

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

>