Rindo para não chorar

A semana em charges

Saudações, humanos! Saudações humanas! Voltei! Depois de uma semana de folga para tirar imerecidas mini-férias, rindo para não chorar – a semana em charges – está de novo na área: Se derrubar é VAR! Quer charges? Toma!

O produto é você

Recentemente a Meta – bigtech proprietária de alguns dos maiores apps e redes sociais do Mundo, como Facebook, Instagram e Whatsapp – foi flagrada e denunciada, através de comunicações internas de seus funcionários, obtidas e veiculadas pela agência Reuters, liberando discursos de ódio e xenofobia contra populações étnicas russas para países do entorno do conflito armado com a Ucrânia. Quantas pessoas podem ter sido influenciadas a cometer atos de violência pela “liberalidade” das redes de Mark Zuckerberg?

Esse não é o primeiro episódio onde os produtos da Meta estão envolvidos com incitação à vilolência. Na década passada o Facebook foi fundamental na grande campanha de divulgação de fakenews e discursos de ódio em Mianmar, contra a minoria de etnia Rohingya, que resultou em dezenas de milhares de mortos e cerca de um milhão de refugiados.

A “capivara” da Meta é extensa: desde os escândalos de vazamento de dados e propaganda política direcionada pró-extrema-direita , no notório caso Cambridge Analytica (com mais de 50 milhões de usuários com perfil vazado para a empresa de Steve Bannon) até o caso Beacon, logo no início do desenvolvimento da plataforma Facebook em 2007, onde os usuários faziam publicidade involuntária e não autorizada em seus perfis. A cada caso as justificativas da Meta são sempre frouxas e na pior das hipóteses após uma multa tudo é jogado para baixo do tapete.

Considerando o histórico de Mr. Mark Montanha-de-Açúcar e suas nebulosas práticas corporativas… Será que é prudente dedicarmos a quantidade de horas que dedicamos a utilizar seus produtos? Quantos “implantes” cerebrais já nos foram inculcados pela grande máquina de lavar cérebros do Sr. Zuckerberg?

Por Fraga

Lobo malware

Uma pesquisa de 2019 demonstrou que 60% dos heavy users de whatsapp declararam voto em Jair Bolsonaro nas eleições do ano anterior. O app da Meta garante que está tomando providências para que a enxurrada de fakenews orquestrada pelo sistema de desinformação da direita, que varreu as últimas eleições, não se repita. Eles fingem que se importam e nós fingimos que acreditamos…

por Jota camelo

Enquanto isso no lustre do castelo…

A direita (e sua irmã siamesa extrema-direita) organiza seus sistemas de disparo digital, a capilaridade política com negociações entre o poder municipal e as candidaturas e seu financiamento através de acordos com oligarquias locais e as grandes corporações nacionais e transnacionais. Tudo isso bem trombeteado por portais, tvs, rádios e mídia impressa. Mas quem sabe se nós organizarmos direitinho um sarau em forma de jogral com mani-performance lúdico-artística não consigamos encarar os caras de frente, né? Afinal… Vai que… Todes juntes somos fortxs!

Por Quinho

22 de Abril

há 522 anos, completados na última sexta feira, a coroa portuguesa “descobria” essa pocilga terra de palmeiras e gorjeantes sabiás. A data marca o nascimento oficial do mulato inzoneiro, com nome de commoditie e jeitão trigueiro e sestroso, que desde então faz a festa de bolsos e cofres alhures. Algumas más linguás dizem que outros navegantes já haviam pisado e esquadrinhado estas margens plácidas antes do notório Cabral… Mas, afinal… O que pode ser mais Brasil do que nascer com data incerta, filho de pai desconhecido?

Por Thiagão

Impagável

Aproveitem enquanto ainda dá pra comprar vela… Nesse país o último que sair nem vai precisar apagar a luz… Só rindo pra não chorar!

Por Lute

Carestia

Março nos legou a maior inflação medida pelo IPCA em VINTE E OITO ANOS! Mas Abril está aí, cheio de disposição, gana e vontade, pronto para bater esse recorde. Fortes emoções nos aguardam nas gondolas, bombas de combustível e faturas, meus queridos! Seguuura, coração!

Por Kayser

Esquadrilha da fumaça

Firehousing é o nome e, sim, funciona. Não caiam nessa, camaradinhas.

Por Duke

Fabrica de escândalos

É laranja, é assessor fantasma, é negócio de fachada, é compra de mansão, é barra de ouro, é queima de arquivo, é prevaricação, é farra no cartão corporativo, é licitação superfaturada, é entrega de ativos públicos, é turismão em dubai, é mamata militar, é distribuição de cargos, é roubo de vacina, é mutreta de cloroquina, é cheque pra Micheque, é rachadinhas e rachadonas, é orçamento secreto, é aérococa… Enfim, fico aqui até amanhã, e não listo toda a esbórnia desse governo ladrão! É tanta lambança e impunidade que fica até difícil de focar onde atacar.

Por Joaquim

Falando em indulto

Quem dificilmente conseguirá um indulto pelos seus “crimes” é nosso santo padroeiro do jornalismo investigativo, Julian Assange. Na última quarta, 20, um tribunal britânico, país onde o ativista permanece preso desde 2019 (já estando numa prisão de fato, na embaixada equatoriana de Londres, há sete anos), emitiu pedido de extradição aos Estados Unidos para Assange.

Confirmada a extradição seria uma legítima sentença de morte para o homem que expôs o conteúdo dos intestinos do Império Norteamericano, através do site wikileaks, em 2010. A decisão no momento está nas mãos da Ministra do Interior (uma conservadora tatcherista) Priti Patel. Ironia suprema – demonstração inigualável do sadismo e hipocrisia do poder anglo-saxão – o australiano de 50 anos, provavelmente, terá seu destino selado por uma mulher da mesma idade pertencente a uma minoria étnica de outra ex-colonia britânica, profundamente explorada pela metrópole, a Índia.

Por Bacellar

Fakedemocracy

O Império da Mentira™ segue apostando em falsificações e notícias enviesadas para atingir seus objetivos. Nas últimas semanas os EUA lideraram ação que suspendeu a Rússia da Comissão de Direitos Humanos da ONU. 93 países cederam as pressões norte americanas e votaram contra a Rússia. No entanto aliados de peso como China e Iran votaram contra a medida.

A justificativa para essa grave transgressão diplomática dos EUA são os supostos massacres de civis ucranianos no conflito iniciado em março. Porém é muito complicado dizer que as tropas russas estão cometendo atrocidades mais graves do que as ocorridas em diversos conflitos armados pelo Mundo (incluindo denúncias contra as próprias forças armadas ucranianas e seus batalhões notoriamente nazifascistas), recentes ou em andamento, dentre os quais alguns com participação direta dos EUA. Os acontecimentos em Bucha, um dos principais catalisadores da atitude radical atlanticista na ONU, seguem nebulosos.

Dado o histórico norteamericano de forjar false flags e dossiês de Inteligência (recente reportagem da NBC News sobre a utilização de “declassified intel” na infowar contra a Rússia é ilustrativa) fica a pergunta… Seriam os “massacres” tão reais quanto as armas de destruição em massa iraquianas ou o vírus de laboratório chinês?

Por Guabiras

Desfile da campeãs

O estandarte do sanatório geral vai passar…

Pois é, pois é, pois é, meus amores… A coisa não anda fácil e não promete melhorar. Até semana que vem com mais “rindo para não chorar”. Arrivederci!

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Bolsonaristas ameaçaram matar repórter dentro do Senado

“Encostaram uma arma na minha cintura, dizendo que eu ia morrer. Outro encostou em meu ouvido e disse que tinha outra arma nas minhas costas. Senti algo, como um pequeno cano. E não paravam de me xingar com diversos palavrões. Comecei a implorar pela minha vida”