Resistência em Cuba: esperançar internacional

Por Gui Frodu

Pela manhã da última segunda-feira (12/07) recebi uma convocatória urgente, chamando a militância para comparecer no Consulado de Cuba em São Paulo.

Por Guilherme Gandolfi “Frôdu”, especial para os Jornalistas Livres

O final de semana na ilha foi marcado por protestos contra e a favor do governo. Pelos grupos de direita circulavam mensagens chamando pessoas para invadir as representações do governo socialista no Brasil.

Remarquei reuniões, me articulei com o movimento, peguei a câmera e parti rumo ao Consulado de Cuba, não para defender um prédio, mas para defender uma ideia.

A ideia de que é possível existir um mundo onde a vida seja mais importante do que o dinheiro. Onde liberdade seja sinônimo de direitos e não de consumo.

Movimentos e partidos de esquerda (PCO, PCB, UP, Consulta Popular, Levante, UJS, MST, MTD…) com suas bandeiras, com as bandeiras do Brasil e também de Cuba estavam lá e lá ficamos das 15h em diante

Nós que discordamos radicalmente do governo Bolsonaro, o enfrentamos, sem fugir ou vender nosso povo.

Por Gui Frodu

Do outro lado a direita, cerca de quinze pessoas, que não questiona o criminoso bloqueio econômico.

Sob o olhar da polícia, começou um empurra, empurra, troca de ofensas e xingamentos em portunhol. Os nossos conhecidos gritos de “Coxinha” substituídos por “Gusanos traidores”; “Fidel está morto” no lugar de “Lula ladrão”.

Durante o ato, recebemos a notícia de que houve uma tentativa, fracassada, de invasão na Embaixada de Cuba em Brasília. Atenção redobrada.

A esquerda garantindo a defesa do consulado e gritando “Recua, direita recua…”. O Impasse se estendeu por horas, com provocações dos dois lados. 

Um dos manifestantes contra o governo revolucionário me chamou a atenção, usando roupas mais caras que meu salário, falava de “fome” e “morte” como se não estivéssemos no Brasil dos 530 mil mortos (oficiais) pela COVID , das chacinas nas quebradas, onde Matheus ficou preso 10 dias, onde Pilha só saiu da prisão nesse final de semana.

Por Gui Frodu

Como se não estivéssemos na absurdamente desigual São Paulo. Descrevem o capitalismo e culpam Fidel!

Por volta das 21h, depois da direita sair escoltada pela PM, os representantes do Consulado de Cuba nos agradeceram. Numa linda ação simbólica o MST fez uma doação de produtos da reforma agrária, do povo brasileiro para o cubano.

Por aqui, resistimos lutando, sabendo que nossos sonhos são os do mundo e aquela pequena ilha no Caribe nos enche de esperança, esperança daquele tipo Verbo da qual falava Paulo Freire.

Por Gui Frodu

*Guilherme Gandolfi “Frôdu” É comunicador popular, colabora com Jornalistas Livres e milita na Consulta Popular e no Levante Popular da Juventude

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

>