Diário do bolso: voto, Trump e o golpe de verdade

E, se eu não conseguir o voto em papel, pelo menos desmoralizo a eleição. Aí, com a população armada e o exército do meu lado, eu mostro pro Donald como é que se dá um golpe de verdade
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Por José Roberto Torero*  Diarinho, o pessoal fica me perguntando: “Por que vossa presidência quer a volta do voto em papel?”

Ah, inocentes…

A resposta tá nesse recortezinho aqui, ó.

(E, se eu não conseguir o voto em papel, pelo menos desmoralizo a eleição. Aí, com a população armada e o exército do meu lado, eu mostro pro Donald como é que se dá um golpe de verdade.)

*José Roberto Torero é autor de livros, como “O Chalaça”, vencedor do Prêmio Jabuti de 1995. Além disso, escreveu roteiros para cinema e tevê, como em Retrato Falado para Rede Globo do Brasil. Também foi colunista de Esportes da Folha de S. Paulo entre 1998 e 2012.

#diariodobolso

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Diário do bolso: o panelaço contra o genocida

Olha, Diário, o que esses paneleiros querem é o meu “impichimem”!

Me dá um arrepio só de escrever essa palavra. O Dudu me explicou que ela vem do inglês é quer dizer “jogar piche no homem”. Ele acha que deve ter tido um presidente em que atiraram piche, tipo o Gerald Nixon, e aí o nome pegou.

Diário do bolso: eu sou louco?

Por exemplo, essa semana aí, eles entrevistaram uns psicólogos (ou será que foram psiquiatras?, ah, sei lá, uns desses médicos de loucos). E os malucólogos disseram que eu tenho problemas mentais!

Diário do bolso: a capivara do Cascavel na Saúde

Em resumo: ele fez grilagem, vendeu sem licitação, levou multa por crime ambiental, foi pego tentando subornar um funcionário público e é um fazendeiro que não entende patavinas de medicina. Tá, isso são fatos. Mas dizer que por causa desses detalhes o Cascavel não pode ser um dos bambambãs do Ministério da Saúde é interpretar as coisas. Aí não pode, pô!

>