São Paulo amanheceu com protestos contra o aumento da passagem

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Larissa Gould, especial para os Jornalistas Livres. Fotos: CMI_saopaulo. 

O Movimento Passe Livre (MPL) realizou na manhã de hoje (8) seu primeiro ato do ano na capital paulista. Por volta das 5h30, manifestantes bloquearam o acesso ao Terminal Lapa pela rua John Harrison, ateando fogo em pneus e vias da região oeste da Capital Paulista. A ação foi uma intervenção contra o aumento da passagem, que passará a custar R$ 3,80 a partir desse sábado (9). Atualmente a tarifa é de R$ 3,50, o aumento valerá para ônibus, trem e metrô.

Foto: CMI_saopaulo
Foto: CMI_saopaulo

Por volta das 7h40, os manifestantes voltaram para o terminal e o protesto foi encerrado às 8h. Cerca de 30 pessoas participaram do ato.

Contra o aumento da passagem

À tarde serão realizados novos atos em três capitais brasileiras: Belo Horizonte, às 18h na Praça Sete; São Paulo, às 17h no em frente ao Theatro Municipal; e Rio de Janeiro, na Cinelândia, também às 17h.

Confira a nota do MPL-SP sobre o aumento:

:: MAIS UM AUMENTO DE PRESENTE DE ANO NOVO

Na mais pura amizade, Fernando Haddad (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB), deram as mãozinhas e anunciaram um aumento de trinta centavos na nossa já absurda passagem para o começo do próximo ano. Com isso, passaremos a pagar R$3,80 nos ônibus e metrôs exatamente no aniversário do último aumento, dia 9 de janeiro.

Novamente, governos municipal e estadual deixam bem claro que as picuinhas entre seus partidos são só joguinho de cena, e que, na verdade, os dois têm um objetivo muito nobre em comum: enriquecer empresário pisando em cima da população.

Como sempre, aparecem os argumentos de que “é a crise” e “pelo menos o aumento está abaixo da inflação”. Mas quantos aumentos acima dela a população já aguentou até que a passagem chegasse ao preço exorbitante atual? Por que somos nós, e principalmente quem está mais fodido, quem tem que tapar o buraco das “perdas” nos ganhos – que, “apesar da crise”, seguem altíssimos – dos empresários? E por que parece natural, em um momento de crise, que a saída seja tornar ainda mais excludente um sistema que já deixa muita gente de fora pra garantir que quem já ganha muito continue ganhando?

Enquanto isso, o busão e o metrô seguem lotados, o transporte continua servindo apenas para levar e buscar (e muito mal) do trabalho e nosso acesso à cidade e nosso direito de ir e vir continuam sendo mercadorias das mais caras.

Só a luta muda a vida, e é bom que Haddad e Alckmin tenham vindo preparados para a briga, porque nós vamos bater de frente. A população não vai pagar pela crise dos ricos e nenhum centavo a mais vai sair do nosso bolso pra enriquecer ainda mais os empresários!

TODO AUMENTO É ROUBO, E NÓS VAMOS REAGIR!
TRÊS E OITENTA NEM FODENDO!

http://migre.me/sySmx

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Contra o Aumento da Passagem em Belém

Nesta sexta-feira, 20, foi realizado em Belém um protesto contra o aumento da passagem de ônibus de 2,70 para 3,10. Tal reajuste, que é praticamente

>