Projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro #66 – Cauê Maia: Nada Será Como Seria

Cauê Maia apresenta o 66º ensaio do Projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro - Imagens que narram nossa história
Cauê Maia. Nada Será Como Seria

Nada será como seria. Para quem nasceu depois de 1945, a pandemia do Covid-19 talvez seja a experiência mais próxima de uma Guerra Mundial. Uma ameaça global capaz de mudar, quando não interromper, a trajetória dos nossos dias e o foco dos nossos medos.

As fotos deste ensaio mostram intervenções que não estão mais ali. As frases de tinta vermelha foram cobertas de branco pouco tempo depois. São poemas de antes das quarentenas, pintados às margens do rio Tietê, durante o projeto Natureza Marginal, com a casadalapa, Coletivo Transverso, Paulestinos e Zito.

As projeções sobre o Palácio do Planalto, o prédio da Fiesp e o caveirão da Tropa de Choque foram feitas com a Bazuca Poética, do Coletivo Transverso, e duraram ainda menos tempo.

Um mundo totalmente sem máscaras, hoje, parece uma ficção antiga: possível apenas em filmes de outras décadas. Enquanto revivemos diariamente um presente expandido, as questões urgentes de ontem parecem distantes, quando não esquecidas.

São fragmentos de uma reflexão sobre os futuros que desejávamos e o imperativo de reconstruir, agora, uma outra vida possível. Seguimos em isolamentos interconectados, imaginando técnicas táteis de viver a cidade.

Nada será como seria.

Cauê Maia. Nada Será Como Seria
Cauê Maia. Nada Será Como Seria
Cauê Maia. Nada Será Como Seria
Cauê Maia. Nada Será Como Seria

Cauê Maia. Nada Será Como Seria
Cauê Maia. Nada Será Como Seria
Cauê Maia. Nada Será Como Seria
Cauê Maia. Nada Será Como Seria
Cauê Maia. Nada Será Como Seria

.

Minibio

Cauê Maia é poeta e artista plástico, um dos criadores do Coletivo Transverso e integrante do coletivo casadalapa. Com doutorado em artes visuais pela USP, mestrado em literatura e graduação em ciência política, ambos pela UnB, desenvolve uma pesquisa prática e interdisciplinar sobre intervenções poéticas no espaço público e livro de artista.

.

Para conhecer mais o trabalho do artista

https://www.instagram.com/coletivotransverso/

.

O projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro é um projeto dos Jornalistas Livres, a partir de uma ideia do artista e jornalista livre Sato do Brasil. Um espaço de ensaios fotográficos e imagéticos sobre esses tempos de pandemia, vividos sob o signo abissal de um governo inumanista onde começamos a vislumbrar um porvir desconhecido, isolado, estranho mas também louco e visionário. Nessa fresta de tempo, convidamos os criadores das imagens de nosso tempo, trazer seus ensaios, seus pensamentos de mundo, suas críticas, seus sonhos, sua visão da vida. Quem quiser participar, conversamos. Vamos nessa! Trazer um respiro nesse isolamento precário de abraços e encontros. Podem ser imagens revistas de um tempo de memória, documentação desses dias de novas relações, uma ideia do que teremos daqui pra frente. Uma fresta entre passado, futuro e presente.

Outros ensaios deste projeto: https://jornalistaslivres.org/?s=futuro+do+presente

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

A POSSE, COMO CULTURA

Augusto Boal (in memoriam 2002) nos lembra a importância da ocupação das ruas e espaços públicos pela cultura. E por meio dela, transmitir pelos sentidos – e não só pela razão – a transformação de palavras e promessas.