Projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro #141 – Leo Lima: Caçadores de Pipas do Jacarezinho

Leo Lima apresenta o 141º ensaio do Projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro - Imagens que narram nossa história
Leo Lima, Jacarezinho6

Caçadores de Pipas do Jacarezinho é uma documentação fotográfica, em curso na vida de Leo, desde 2009, quando se formou fotógrafo popular pelo Imagens do Povo, no Observatório de Favelas.

Leo leu seu primeiro romance na vida através de uma amiga egressa do sistema penal (Evelyn), que concedeu-lhe a oportunidade de ler o clássico livro Caçador de Pipas, de Khaled Hosseini. Leo fez da arte literária uma poesia visual aliada às suas memórias afetivas no Jacarezinho. Fotografa seus amigos, crianças e adolescentes de seu projeto de cinema na favela, se divertindo e empinando pipas como um ato de resistência, fazendo da comunicação, que um dia foi usada por militares na época da ditadura militar, um de seus expoentes.

A pipa, como foi dito pelo jornalista Luiz Antônio Simas, já foi empinada por milicos para avisar a saída ou entrada de comunistas na favela. Ato tão popularizado que foi reinventado na mão de crianças de todas as periferias do Brasil.

Leo Lima, Jacarezinho1
Leo Lima, Jacarezinho2
Leo Lima, Jacarezinho3
Leo Lima, Jacarezinho4
Leo Lima, Jacarezinho5
Leo Lima, Jacarezinho6
Leo Lima, Jacarezinho 7
Leo Lima, Jacarezinho 8
Leo Lima, Jacarezinho 10
Leo Lima, Jacarezinho 9

.

Minibio

Caçadores de Pipas do Jacarezinho é um projeto em curso desde 2009, no Jacarezinho, Rio de Janeiro, desenvolvido por Leo Lima, 33 anos, integrante dos coletivos Favela em Foco e Cafuné na Laje, e tira seu sustento e de sua família numa farmácia da zona sul do Rio de Janeiro, desde 2018.

Leo é pai de 3 filhos, Malu, Ariel e Zuri e companheiro de Carolina Meirelles. Nascido e criado no Jacarezinho, atualmente mora na favela Cidade de Deus. É autor do argumento e da pesquisa do Curta Doc “Favela que me viu crescer”, que fala da vida de quatro moradores da favela do JACAREZINHO. É autor da Mostra Confiança Exposta, em 2013, na Galeria 535 do Observatório de Favelas.

.

Para conhecer mais o trabalho do artista

https://www.instagram.com/leoquetirafoto/

https://www.instagram.com/favelaemfoco/

https://www.instagram.com/cafunenalaje/

https://www.instagram.com/defavelas/

https://www.instagram.com/favelaquemeviucrescer/

.

O projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro é um projeto dos Jornalistas Livres, a partir de uma ideia do artista e jornalista livre Sato do Brasil. Um espaço de ensaios fotográficos e imagéticos sobre esses tempos de pandemia, vividos sob o signo abissal de um governo inumanista onde começamos a vislumbrar um porvir desconhecido, isolado, estranho mas também louco e visionário. Nessa fresta de tempo, convidamos os criadores das imagens de nosso tempo, trazer seus ensaios, seus pensamentos de mundo, suas críticas, recriar seus sonhos, sua visão da vida. Quem quiser participar, conversamos. Vamos nessa! Trazer um respiro nesse isolamento precário de abraços e encontros. Podem ser imagens revistas de um tempo de memória, de quintal, de rua, documentação desses dias de novas relações, essenciais, uma ideia do que teremos daqui pra frente. Uma fresta entre passado, futuro e presente.

Outros ensaios deste projeto: https://jornalistaslivres.org/?s=futuro+do+presente

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Hoje Maria Marighella é a entrevistada no Programa JORNALISTAS LIVRES ENTREVISTA. Atriz, mãe, militante e produtora cultural. Herdeira de uma família de tradição militante. Maria

Quem segura essa quebrada

Quem segura essa quebrada?

O Café com Muriçoca de hoje traz duas indicações de livros: “Viela Ensanguentada”, de Wesley Barbosa, e “O Pé que ficou naquela estação”, de Nina Barbosa.

A POSSE, COMO CULTURA

Augusto Boal (in memoriam 2002) nos lembra a importância da ocupação das ruas e espaços públicos pela cultura. E por meio dela, transmitir pelos sentidos – e não só pela razão – a transformação de palavras e promessas.