Povo dorme nas ruas e enfrenta dias de fila: atualização do CadÚnico é prorrogada

Com o prazo prorrogado em 30 dias, brasileiros enfrentam condições desumanas para conseguir atualizar seu Cadastro Único

Após filas quilométricas em todo país, o Ministério da Cidadania prorrogou por mais 30 dias o prazo para atualização das informações do Cadastro Único (CadÚnico), obrigatório para se acessar programas sociais como o Auxilio Brasil. De acordo com o Ministério, foram convocadas para revisão mais de 1,4 milhão de famílias inscritas no Cadastro Único, sendo 757 mil dessas, beneficiárias do Auxílio Brasil. O prazo anteriormente estipulado terminaria nesta sexta-feira (14/10), mas, após confusões com pessoas dormindo em filas, o governo decidiu pela prorrogação.

O Cadastro Único (CadÚnico) é a principal porta de entrada para a inclusão de famílias de baixa renda em programas sociais como o Benefício de Prestação Continuada (BPC), a Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), entre muitos outros benefícios oferecidos pelo governo federal. Criado para identificar a população mais vulnerável e unificar os requisitos para obter acesso aos programas, hoje os brasileiros enfrentam filas desumanas para garantir os seus direitos. Expostas a chuvas, sol e sem poder trabalhar para não perder seu lugar na fila, o povo brasileiro se humilha para fazer a revalidação dos dados.

Em agosto, uma mulher de 44 anos morreu na fila Centro de Referência em Assistência Social (Cras), após tentar por 8 dias seguidos, atendimento para se cadastrar e solicitar o Benefício de Prestação Continuada (BPC) – um auxílio de um salário mínimo pago a idosos e pessoas de baixa renda que têm algum tipo de deficiência. Janaína Araujo era hipertensa, obesa, sofria de síndrome do pânico, depressão e ansiedade.

Mesmo após a prorrogação do prazo, várias cidades brasileiras registraram filas enormes, com idosos e pessoas doentes dormindo no chão, temendo não conseguir realizar o seu cadastro. A capital paraense, Belém, foi marcada por multidões que tentavam, sem sucesso, obter seu atendimento. Cerca de 20 mil pessoas se enquadram na atualização de dados. Até esta sexta-feira (14/10), apenas metade desse número havia retificado seus dados, de acordo com a prefeitura da cidade.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS