O silêncio da grande mídia sobre o crime da Braskem

População de Maceió em pânico e o silêncio da grande mídia caracteriza que as empresas e seus donos, como o caso da Braskem, se alimentam da mistura entre dor e impunidade.

Uma mina da Braskem no bairro do Mutange, em Maceió (AL), está prestes a entrar em colapso e a Justiça determinou a evacuação imediata dos moradores da região.

A Defesa Civil está agora batendo na porta em dezenas de casas do bairro histórico, que sofre os efeitos da extração mineral de sal-gema feita pela empresa. A ação está sendo criticada pelos moradores: “Eles estão chegando de qualquer jeito, não oferecem um lugar seguro para onde devemos ir”. Os alertas sobre o colapso são de 2019.

Desde que a mineração foi apontada como a principal causa das rachaduras que surgiram no solo e em imóveis de cinco bairros de Maceió, um trabalho foi iniciado para fechamento e estabilização de 35 minas na região do Mutange e de Bebedouro após pressão social. Mas novos tremores interromperam este serviço. Parte de Maceió está afundando.

O que era para ter começado a acontecer em 2019, de forma gradual e acertada com a comunidade, está sendo feito quando atingiu o limite, e agora as famílias estão criticando duramente o processo de realocação, que não foi realizado em comum acordo com os moradores.

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

POSTS RELACIONADOS