Exclusivo: no leste do Pará, indígenas denunciam invasão crescente de drones sobre seu território

Localizada no Leste do Pará, a TI Mãe Maria está próxima as divisas com o Maranhão e o Tocantins. Imagem do Google Maps

Desde o dia 6 de junho (domingo), indígenas de diferentes aldeias da TI Mãe Maria, no Pará, vêm avistando um número crescente de drones sobrevoando seu território. Segundo relatos, os drones avistados até o momento são grandes, e a suspeita é de que sejam de empresas de mineração. Os voos têm sido observados à noite e de madrugada.

https://youtube.com/shorts/x72fyl9kVZE?feature=share
Um dos drones flagrados sobrevoando a TI Mãe Maria, durante à noite

Na sexta-feira (10), um grupo de indígenas partiu pela BR-222, que cruza a terra indígena, para tentar localizar os pilotos dos drones. Por volta das 3h da manhã, encontraram um carro suspeito e, ao tentar se aproximar do veículo, foram recebidos com tiros de arma de fogo. Ninguém se feriu. Lideranças do povo gavião protocolaram na PF e no MPF denúncias sobre o caso.

A TI Mãe Mari: um ilha de vegetação em meio ao desmatamento. Imagem do Google Maps

A Terra Indígena Mãe Maria pertence ao povo Gavião do Pará (formado por três etnias: Gavião Akrãtikatêjê, Gavião Kykatejê e Gavião Parkatêjê) , e está localizada no município de Bom Jesus do Tocantins (PA), vizinho do município de Marabá-PA. Com cerca de 62 mil hectares é uma ilha de conservação em meio ao forte desmatamento que há na região. Desde 2019, explodiu o número de autorizações e pedidos de autorizações de pesquisa de minérios no entorno do território Gavião. Para os indígenas, com a possibilidade de aprovação do PL 191/2020, que prevê a exploração mineral em terras indígenas, as empresas já estão fazendo prospeção sobre o território dos gavião, mesmo antes da aprovação do PL, que atualmente aguarda formação da comissão especial na Câmara dos Deputados, e em seguida entrar na pauta de votações.

De 2019 para cá, explodiu o número de pedidos de prospecção de minérios no entorno da TI Mãe Maria. Ouro, diamante e cobre lideram. Fonte: SIGMINE / Agência Nacional de Mineração

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

>