Não vai ter aula: professores da rede particular param no dia 23

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Do site do Sinpro

Com o SinproSP lotado, categoria aprovou um dia de paralisação com assembleia e ato público na próxima 4ª feira em protesto contra as escolas.

foto do SInpro

Por unanimidade, professores de educação básica aprovaram a paralisação das atividades na próxima 4ª feira, dia 23, em protesto contra a ameaça de perda de direitos da Convenção Coletiva.

Os professores também aprovaram a agenda para o dia 23. No período da tarde haverá uma assembleia no SinproSP, às 14h, para decidir sobre a possibilidade de greve a partir do dia 28. Ao final, os professores se juntarão a colegas de outras cidades para um ato público no vão livre do Masp. No período da manhã serão organizadas aulas públicas em alguns pontos da cidade.

O clima da assembleia foi de grande indignação contra as escolas. Os professores criticaram duramente o SIEEESP, sindicato patronal, e a ABEPAR, associação que reúne algumas escolas de elite.

Representantes de professores de mais de 30 escolas relataram o que está ocorrendo em seus locais de trabalho e como a mobilização está sendo organizada. Ao final da assembleia, muitos se reuniram por escola para discutir questões específicas.

Ao final da assembleia, muitos professores se reuniram por escola para discutir questões próprias de seus locais de trabalho.

Audiência pública

O deputado Carlos Giannazi (Psol) mais uma vez esteve presente à assembleia. Ele propôs a realização de uma audiência pública na Assembleia Legislativa para discutir e denunciar a ameaça contra os direitos dos professores das escolas particulares.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

>