Na gestão Biden, 2,1 milhões de pessoas foram detidas na fronteira com o México

Das 2,1 milhões de pessoas barradas, 1,3 milhão foram presas ao tentar atravessar a fronteira estadunidense - o maior número da história

Foram divulgados nesta segunda-feira (19/09) os números mensais do Serviço de Alfândega e Proteção de Fronteiras (CSP) dos Estados Unidos. O relatório, que fornece dados e informações sobre o fluxo de imigração e controle de fronteiras do país, mostrou que 2,1 milhões de pessoas foram detidas nas fronteiras estadunidenses e mais de 1 milhão dessas foram deportadas para seus países de origem. Foi o maior número de pessoas retidas em um ano nos Estados Unidos na fronteira com o México. Tais resultados são históricos e retratam a perpetuação das políticas xenofóbicas do país, que mesmo à frente de Joe Biden, um político considerado “progressista”, perpetua a cultura do ódio contra imigrantes latino-americanos.

O cenário político estadunidense está marcado por tensões relacionadas ao tema. Na última semana, o governador conservador do Texas, Greg Abbott, mandou dois ônibus lotados de imigrantes venezuelanos para a residência da vice-presidente, Kamala Harris, em Washington. Confusas, as pessoas não sabiam para onde estavam sendo levadas e desembarcaram com ajuda de movimentos sociais que os levaram para uma igreja nas localidades. Esse tipo de ação virou recorrente dentre os governos republicanos – conhecidos por serem favoráveis a políticas migratórias rígidas e preconceituosas.

Também no início deste mês, o governador da Flórida, Ron DeSantis, foi responsável por enviar um avião com 50 imigrantes – incluindo crianças – à ilha Martha’s Vineyard, no Massachusetts. De acordo com relatos, foram oferecidos abrigo, apoio financeiro e a chance de regularizar documentos a todos presentes, que foram obrigados a assinar um termo de isenção de responsabilidade. O destino era desconhecido pela tripulação que se chocou ao chegar na ilha – conhecida por ser um destino de veraneio da parcela rica do estado.

Com a aproximação da eleições de meio mandato, na qual 36 estados elegem seus governadores e alguns cargos legislativos, o governo Biden se distancia do tópico imigração com medo de afastar um possível eleitorado. Isso dá espaço para políticos republicanos utilizarem a pauta para propagarem ódio, xenofobia e desinformação a cerca dos imigrantes latino-americanos sem qualquer consequência

De acordo com o relatório do CSP, no mês de agosto, o número de imigrantes de Cuba, Nicarágua e Venezuela presos na fronteira sudoeste se equiparou aos vindos do México, El Salvador, Guatemala e Honduras. Todos esses países são marcados por um forte isolamento político mundial, rígidas sanções econômicas e interferências imperialistas dos Estados Unidos.
A busca por asilo é um direito legal e universal que sofre ataques recorrentes pela aprovação de políticas anti-migratórias do governo estadunidense.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS