Mais um ataque bolsonarista: comitê do PT é depredado e apoiadora é agredida

Homem que se declarou bolsonarista disse que acabaria com o PT ao destruir comitê e agredir apoiadora nesta terça-feria (27)
Comitê do PT é destruído por bolsonarista. - Imagem: Reprodução
Comitê do PT é destruído por bolsonarista. - Imagem: Reprodução

Um comitê de campanha do deputado estadual Emídio de Souza (PT-SP) foi atacado por um bolsonarista ao meio-dia desta terça-feira (27), em Novo Osasco.

Segundo o candidato, um homem, que se identificou como eleitor de Jair Bolsonaro, invadiu o local e disse que acabaria com o PT. Em seguida, destruiu materiais de campanha e agrediu a única apoiadora que estava no local. 

A mulher relatou que o bolsonarista a empurrou diversas vezes, fazendo com que se machucasse ao bater o peito. Ela se dirigiu a delegacia para fazer um boletim de ocorrência, mas o agressor fugiu. 

Em suas redes sociais, Emídio de Souza se pronunciou sobre o ataque: “Infelizmente a onda de ódio chegou a Osasco e hoje atingiu a nossa campanha. Um bolsonarista invadiu o nosso comitê do Novo Osasco, agrediu uma apoiadora e destruiu materiais. Vamos tomar todas as medidas para que esse sujeito pague pelos crimes que cometeu. O fim está próximo, bolsonaristas. O amor vai vencer. Vocês não nos intimidam!”, afirmou. 

Ataques como esse se tornaram recorrentes. A cinco dias das eleições, as tensões políticas se intensificaram nas ruas do Brasil. Em especial a violência e angústia dos bolsonaristas, que começam a perceber o risco iminente de perderem. Só na última sexta-feira (23) foram registrados dois ataques: um em Angra dos Reis (RJ), onde uma jovem de 19 anos foi agredida com uma paulada na cabeça; e o outro em Montes Claros (MG), quando um PM atirou contra eleitores de Lula (PT). 

Foram registrados, ainda, relatos de homicídios e tentativas de homicídios com facas, armas de fogo e até mesmo carros, como aconteceu com a vereadora Cleres Revelante (PT-RS), que teve seu carro atingido propositalmente por um bolsonarista, que, ao fugir da polícia, morreu em um acidente.

Além disso, também alvejaram uma casa que tinha a bandeira com a imagem do Presidente Lula na janela, em Recife, nesta semana. Aos casos se somam também o assassinato do guarda municipal e tesoureiro do PT, Marcelo Arruda, durante sua festa de aniversário no julho deste ano, em Foz do Iguaçu, no Paraná, e de Benedito dos Santos, morto com 15 facadas na zona rural de Confresa, no Mato Grosso, no início deste mês.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Bolsonaristas ameaçaram matar repórter dentro do Senado

“Encostaram uma arma na minha cintura, dizendo que eu ia morrer. Outro encostou em meu ouvido e disse que tinha outra arma nas minhas costas. Senti algo, como um pequeno cano. E não paravam de me xingar com diversos palavrões. Comecei a implorar pela minha vida”

Flávio Dino e a linguagem da ordem

O novo ministro usou as palavras-chave que acionam o imaginário popular conservador: “Terroristas”, “subversivos”, “segurança nacional”