Mais aumento no diesel e na inflação. E a culpa não é da guerra na Ucrânia

Privatizadas, as empresas de energia agora visam tão somente a maximização dos seus lucros e não o desenvolvimento nacional. E tome aumento!
Caminhoneiros estão furiosos com novo aumento do diesel
Caminhoneiros estão furiosos com novo aumento do diesel

No 7º Episódio do Programa “O Brasil e o Mundo em 30 Minutos”, os economistas e professores universitários Daniel Höfling, Ricardo Buratini e José Ruas debatem a escalada de preços da Energia no Brasil, destacando o petróleo e a energia elétrica. Em que pese a influência externa na dinâmica dos preços internos, não é a guerra da Ucrânia que explica o aumento do preço da gasolina, do diesel ou da conta de luz. Na verdade, após o intenso processo de privatização na cadeia de energia elétrica ou da política de preços desastrosa na Petrobrás, o que observamos é uma elevação constante dos preços. As empresas privadas têm como único objetivo a maximização dos seus lucros e não o desenvolvimento nacional. Ao retirar-se o setor público de cena, o bem-estar coletivo fica em segundo plano. Há a necessidade de uma retomada da ideia de planejamento de longo prazo com foco no desenvolvimento econômico e social. Para tanto, a presença do Estado é fundamental. A discussão entre Estado x Setor Privado é anacrônica; precisamos construir sinergias entre ambos, e não colocá-los em lados opostos. Assista agora!

Veja outros episódios de O Brasil e o Mundo em 30 minutos: AQUIAQUI, AQUIAQUI e AQUI

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Lula acerta na economia?

Até agora o governo Lula 3 se configura como independente e assertivo na área econômica. Pode-se dizer que fosse economista, o Lula atual seria um desenvolvimentista, keynesiano e heterodoxo.

Bolsonaristas ameaçaram matar repórter dentro do Senado

“Encostaram uma arma na minha cintura, dizendo que eu ia morrer. Outro encostou em meu ouvido e disse que tinha outra arma nas minhas costas. Senti algo, como um pequeno cano. E não paravam de me xingar com diversos palavrões. Comecei a implorar pela minha vida”

O Mundial amaldiçoado

Copa do Qatar é da família real, com 6.751 trabalhadores imigrantes
mortos para concretizar a festa do futebol