Lula se compromete a diminuir o genocídio negro e indígena ao máximo

"Os índios não são intrusos, nós é que somos os intrusos e precisamos garantir para eles o direito de viver dignamente."

“Os índios não são intrusos, nós é que somos os intrusos e precisamos garantir para eles o direito de viver dignamente.”

Em entrevista para a imprensa independente, realizada nesta quarta-feira (19), o candidato a presidente Luiz Inácio Lula da Silva se comprometeu a criar uma política de tolerância zero à mortalidade da população negra e indígena

“ Vamos fazer o possível e o impossível para que a gente evite o genocídio do povo negro na periferia deste país e do povo pobre como um todo. A questão indígena é muito ligada a questão ambiental: Os índios não são intrusos, nós é que somos os intrusos e precisamos garantir para eles o direito de viver dignamente. Neste sentido, precisamos mudar o papel do estado, pos ele deve cumprir sua função social.”

Luis Inácio Lula da Silva

Um exemplo do descaso com a população indígena é o ofício emitido pela FUNAI em 29 de dezembro de 2021, onde determina a não proteção de terras indígenas não homologadas, onde ao menos, 274 territórios serão excluídos dos planos de trabalho de proteção do órgão indigenista, sendo que 116 estão em processo de identificação, seis estão com portaria de restrição de uso para proteção de indígenas isolados. Em defesa dos Povos indígenas, a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) soltou uma nota de repúdio e denúncia contra o (des) governo de Jair Bolsonaro.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

“Brasil está de volta”: Lula na COP27

Discurso do futuro presidente foi ovacionado diversas vezes pela plateia. Governo em exercício foi esquecido O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva discursou hoje (16)