LGBTQI+ e Mulheres contra Bolsonaro em Cuiabá

O #4DBolsonaroNuncaMais coincidiu esse ano na capital de Mato Grosso com a Parada do Orgulho LGBTQIA+

Fotos por: Francisco Alves

Enquanto em dezenas de cidades pelo Brasil as mulheres estiveram à frente de protestos contra o governo genocida numa nova versão do #EleNão, em Cuiabá foram os LGBTQIA+ que lideraram as marchas denunciando o machismo, o fascismo, o racismo e, claro, a LGBTfobia.

Na tarde deste sábado (4|12), sob o tema “Família de LGBTQIA+ orgulho de re(existir)” cerca de 5 mil pessoas marcharam e se reuniram na Praça Ipiranga – zona central de Cuiabá, para apresentações artísticas e culturais. A Parada é realizada na mesma semana em que deputados da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) rejeitaram o projeto de lei que visava criar o Conselho Estadual LGBTQIA+ no estado.

Veja os registros da manifestação

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Sítio de Ricardo Nunes em São Paulo fica em loteamento irregular

Prefeito de São Paulo tem 13 lotes em Engenheiro Marsilac, na APA Capivari-Monos, mas apenas quatro estão em seu nome; De Olho nos Ruralistas iniciou série sobre o poder em São Paulo, “Endereços”, contando que ele não tem o hábito de pagar o Imposto Territorial Rural

Quem vê corpo não vê coração. Na crônica de hoje falamos sobre desigualdade social e doença mental na classe trabalhadora.

Desigualdade social e doença mental

Quem vê corpo não vê coração.
Na crônica de hoje falamos sobre desigualdade social e doença mental. Sobre como a população pobre brasileira vem sofrendo com a fome, a má distribuição de renda e os efeitos disso tudo em nossa saúde.

Cultura não é perfumaria

Cultura não é vagabundagem

No extinto Reino de Internetlândia, então dividido em castas, gente fazedora de arte e tratadas como vagabundas, decidem entrar em greve.