Jornalista palestina é morta a tiro pelo Exército de Israel

Tiro disparado foi intencional, porque foi certeiro e mortal na cabeça da correspondente da Al-Jazeera

Vídeos distribuídos pela Shehab News, mostram o momento em que a jornalista palestina e correspondente da Al-Jazeera, Shireen Abu Akleh, foi morta com um tiro na cabeça por um soldado das forças de ocupação israelense. Ela usava colete à prova de balas, com a distinção de imprensa. O tiro disparado foi intencional, porque foi certeiro e mortal na cabeça da jornalista.

É intolerável que, em plano Século XXI, perdure a existência de regimes coloniais e de apartheid como o exercido pelo Estado de Israel, com uma clara política de limpeza étnica e crimes de cunho racista e contra a humanidade. O Estado de Israel precisa ser responsabilizado pelas violações e passar a respeitar as decisões da Organização das Nações Unidas e as Convenções Internacionais.

Shireen Abu Akleh foi assassinada friamente com um tiro na cabeça por soldado israelense

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Gaza, a humanidade possível

O passeio das crianças na praia. Os grafites de amor. Os bailes. Romancista resgata lembranças e imagens da vida que pulsa. Ali, onde há poucos dias Israel metralhou mais 112 e jornalistas são assassinados por drones, para que ninguém conte a história. Já são mais de 30 mil mortos e 70 mil feridos, ampla maioria civis como as crianças que andavam na praia

O silêncio dos nada inocentes e a coragem de Lula

Em coletiva de imprensa na África, o presidente brasileiro disse o que muitos governantes têm medo de dizer: que o Estado de Israel comete, com cumplicidade da mídia e dos líderes ocidentais, um genocídio comparável ao dos nazistas