Hugo Chávez, Presente!

Hoje, 5 de março, completam-se 8 anos da partida física do líder revolucionário Hugo Chávez, presidente da Venezuela entre 1999 a 2013, ano de sua morte. Chávez foi um dos grandes articuladores pela integração latino-americanos e caribenha das últimas décadas, dando continuidade ao legado de Simón Bolívar, conhecido como O Libertador, pelo seu papel na independência de diversas nações sul-americanas.

A política anti-imperialista inaugurada por Chávez em 1999, após sua primeira eleição, irritaram o império norte-americano. Isto porque, desde que o petróleo foi descoberto na Venezuela no início do século 20, os Estados Unidos sempre mantiveram seus interesses assegurados pelos governos que se sucediam no país.

Com a eleição de Hugo Chávez, a PDVESA, maior petroleira do país, voltou para as mãos do Estado. Desde então, o país enfrenta sucessivas tentativas de golpe por parte da direita, financiada pelos Estados Unidos, que desejam recuperar o controle sobre o petróleo venezuelano.

A resistência às inúmeras tentativas de ataque executadas pelos Estados Unidos e seus aliados tem sido possível graças ao poder popular colocado em prática por Chávez, uma aliança civil-militar anti-imperialistas e bolivariana, pronta para defender a Pátria das invasões estrangeiras.

Mecanismos de participação popular e aperfeiçoamento da democracia foram reforçados pelo comandante bolivariano e o processo da Assembleia Constituinte, que construiu a Constituição da República Bolivariana da Venezuela, de 1999, e enterrou um pacto entre oligarquias, o Pacto de Punto Fijo, que vigorou no país durante quase meio século.

“Durante décadas, os partidos populistas basearam seu discurso em inúmeras promessas paternalistas, com a intenção de amolecer a consciência popular. As mentiras políticas alienadoras descreviam a chegada à “terra prometida” através de um mar de rosas. A única coisa que os venezuelanos tinham de fazer era ir às urnas eleitorais e aguardar que tudo fosse resolvido sem o mínimo esforço popular… Assim, o ato do voto foi transformado no começo e no fim da democracia”,

Hugo Chavez (1993)

Mesmo após a morte de Chávez, há exatos oito anos, o plano do Império continua ativo e os Estados Unidos seguem aperfeiçoando suas táticas de guerra híbrida, a fim de estrangular governos que não inserem os EUA como prioridade na agenda econômica.

No entanto, Chávez e suas políticas de justiça social seguem sendo inspiração não só para o povo venezuelano, mas a todos aqueles que acreditam no ideal da Pátria Grande, reivindicado por Simón Bolívar.

Os bolivarianos espalhados por toda América guardarão sempre a memória do Comandante e seus esforços na tentativa de estabelecer a união dos povos latino-americanos contra a política imperialista que saqueia as riquezas do continente, explora os trabalhadores e mata os povos originários desde a descoberta do continente, no século 15.

Chávez Vive!

La Lucha Sigue!

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

>