Gusttavo Lima vai receber por show cancelado por prefeitura de Minas

Músico sertanejo vai receber R$ 1,2 milhão, enquanto a dupla Bruno e Marrone vai ganhar R$ 520 mil com dinheiro destinado à educação e saúde

Diante da repercussão do absurdo, a Prefeitura de Conceição do Mato Dentro, município de 17 mil habitantes na Região Central de Minas, desistiu da apresentação dos músicos, mas terá de pagar o cachê de R$ 1,2 milhão relativo aos shows dos sertanejos Gusttavo Lima e R$ 520 mil da dupla Bruno e Marrone, programados para o próximo mês, conforme está previsto no contrato. A exemplo de outras prefeituras, o Executivo de Conceição do Mato Dentro está desviando verba do Fundo de Compensação Financeira pela Exploração Mineral (Cfem) minerária pago pelas mineradoras às cidades onde há mineração . O fundo deve ser destinado apenas às áreas de saúde, educação e infraestrutura.

Jornalistas Livres mostram em primeira mão o teor do contrato com o cantor Gusttavo Lima

O documento assinado com a produtora de Gusttavo Lima previa o pagamento de 50% do cachê total (R$ 600 mil) no ato da assinatura. conforme os Jornalistas Livres mostram com exclusividade. O restante seria quitado cinco dias antes do show. Em caso de cancelamento, a multa também é de 50% do valor global. Desta forma, Conceição do Mato Dentro pagará R$ 1.2 milhão para não ter o show do “Embaixador”.

O problema é que a quebra de contrato gera multas. Em relação a Bruno e Marrone a prefeitura havia pago 25% no ato de assinatura do contrato e 25% que foram quitados no último dia 11, para que o restante fosse pago no dia 15 de junho, após a apresentação da dupla no dia 20 de junho, durante a 30ª Cavalgada do Jubileu do Senhor Bom Jesus Do Matozinhos. O contrato com o Bruno e Marrone tem uma cláusula que prevê uma nova apresentação caso o cancelamento seja provocado por determinação legal de governos, impossibilidade de acesso ao local, tempestades, enchentes, manifestações populares ou risco de contaminação de covid-19 ou outras doenças.

Procurado pela reportagem do jornal O Tempo, o prefeito Zé Fernando, do MDB, e filho do ex-embaixador José Aparecido de Oliveira, negou que tenha assinado o contrato mostrado pelos Jornalistas Livres. Disse ainda que nenhum artista recebeu qualquer valor e não vão receber após o cancelamento.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Rodominério, NÃO; Meio Ambiente, SIM!

O projeto do Rodoanel ignora o Parque Estadual Serra do Rola Moça, sacrifica mananciais que abastecem Belo Horizonte e a Grande BH, sacrificará milhares de famílias que vivem da agricultura familiar, violentará fauna, flora, cachoeiras, Mata Atlântica, cerrado com campos rupestres, cavernas, áreas de proteção ambiental e cultural, pinturas rupestres, cemitérios e comunidades quilombolas

Cidade histórica de Minas é ameaçada por mineradora

Especialistas apontam que a cava pode atingir o lençol freático da cidade do Serro, contaminando a água. Especialistas alertam que as explosões no processo de escavação da mina podem abalar as estruturas históricas; para piorar, remanescentes de quilombos não foram consultados

>