Guilherme Boulos promete indulto pra Lula assim que for eleito

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Por Gustavo Aranda e Laura Capriglione, dos Jornalistas Livres

Uma das lideranças populares mais importantes surgidas da luta popular dos últimos 20 anos, o professor, filósofo, psicanalista e dirigente do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, o MTST, vem de se filiar ao PSOL para concorrer às eleições presidenciais deste ano. Em seu próprio partido, porém, Boulos enfrenta ataques severos de uma ala minoritária que o acusa de ser um “agente lulista infiltrado”. Os mais exaltados desse grupo minoritário até andaram distribuindo pelas redes um flyer fantástico, que diz “Lula, tire suas mãos do PSOL”. Nessa interpretação, Boulos seria “as mãos” do Lula no PSOL. O dirigente do MTST, entretanto, contou com 70% da militância do partido para ser indicado pré-candidato.
Os Jornalistas Livres acompanham as ações de Boulos em defesa dos sem-teto há anos. Já o vimos enfrentando a polícia, à frente de manifestações gigantescas, com dezenas de milhares de mulheres, crianças e trabalhadores pobres.
Uma das pessoas mais próximas e leais a Lula, Boulos mereceu do ex-metalúrgico e líder máximo do PT, uma saudação fraternal no encontro que o lançou como candidato pelo PSOL.
Foi uma surpresa.
Nesta entrevista, Boulos explica o que levou a se colocar como pré-candidato presidencial, o que o aproxima e o que o distancia do PT e como pretende governar, caso seja eleito.

COMENTÁRIOS

  • POSTS RELACIONADOS

    O Brasil figadal

    Desfez-se, de uma vez por todas, o mito de um Brasil cordial. Nossa sociedade não é afável, sincera, calorosa ou franca, no sentido que dá

    >