EXCLUSIVO: Empresário demite petistas e conclama amigos a fazer o mesmo e contratar bolsonaristas

Wilderlim Barbosa orgulha-se de ter demitido três “petistas”: gente com fome, ou no limite da fome, mas “muito metido a besta”
Trabalhadores pobres e no limite da fome foram demitidos porque cometeram o crime de gostar mais de Lula do que de Bolsonaro
Trabalhadores pobres e no limite da fome foram demitidos porque cometeram o crime de gostar mais de Lula do que de Bolsonaro
Wilderlim Barbosa, via redes sociais

O empresário e fazendeiro agropecuarista Wilderlim Queiroz Menezes Barbosa, de 64 anos, conhecido como Derlim, enviou áudios a seus amigos, via whatsapp, conclamando todos a demitir funcionários petistas e substituí-los por bolsonaristas. O fazendeiro orgulha-se de ter feito isso com três “petistas” e descreve os trabalhadores dispensados: gente com fome, ou no limite da fome, mas “muito metido a besta”. Derlim afirma ter matado “a fome deles”, e quando, viu que eles “já não morria(m) de fome”, demitiu-os, dizendo: “Vai procurar serviço lá com o Lula”.

Veja aqui a transcrição das mensagens de Barbosa as amigos de whatsapp:

Boa noite galera!

Ô Celso, eu vou te contar um negócio… Eu vou te contar a verdade… Você tá defendendo uma coisa que é sua opinião, mas, pelo que acontece aqui em Itapagipe, eu acho que o Vanin não tá mentido não, porque o que eu já vi de nego aqui em Itsapagipe tocando serviço, tocando obra e dispensar petista, né… é complicado. Porque os petista tá muito metido a besta. Os empregadores aqui, agora, a primeira coisa que pergunta é: “Você é petista ou bolsonarista”. Só pega petista depois que os bolsonaristativer tudo trabalhando. Não deixa um bolsonarista desempregado e dá serviço prum petista, não. Ô Zé Antonio, eu vou te falar a verdade, eu mesmo dispensei três. Meu serviço era pequenininho. Matei a fome deles, respeitei eles como ser humano, porque gracas a deus eu tinha condições de ajudar um pouquinho, matei a fome deles, a hora que eles alisou o pelinho, que eu vi que já não morria de fome mais, eu disse obrigado, meu filho, vai procurar serviço lá com o Lula!”

Derlim vive em Itapagipe, município do Triângulo Mineiro com 13.656 habitantes. Lá, ele possui a Fazenda Serra da Moeda, de 93,2486 hectares, segundo documento expedido em 2019 pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável – SEMAD, de Minas Gerais. É um homem rico, que já foi, inclusive, vereador de sua cidade.

Não é o primeiro patrão a ameaçar eleitores do PT e de Lula. A empresária, socialite e latifundiária baiana Roseli D’Agostini Lins pediu pelas redes sociais no dia 26/08 para que agricultores “demitam sem dó” funcionários que votarem em Lula (PT) para presidente da República nas eleições de outubro de 2022. Roseli é apoiadora de Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição. Flagrada em delito eleitoral e trabalhista, porque é ilegal tentar interferir na liberdade de voto dos trabalhadores, Roseli pediu desculpas.

É sempre assim. Eles ameaçam, falam grosso, querem lacrar nas redes, mas invariavelmente pedem desculpas quando são pegos. Foi assim também com o fazendeiro Cássio Joel Cenali, que cancelou a entrega de marmitas a uma mulher moradora de Itapeva (SP), porque ela declarou voto em Lula. Pego em flagrante, Cássio pediu desculpas.

Jornalistas Livres localizaram o fazendeiro Wilderlim Queiroz Menezes Barbosa. Por telefone, perguntamos a ele se de fato demitiu três petistas e se acha mesmo que petistas devem ser demitidos e trocados por bolsonaristas. Barbosa disse que “tudo foi apenas uma brincadeira”. Depois, ele enviou à reportagem mensagens de whatsapp com o seguinte conteúdo:

“É como eu disse, tudo conversa entre grupo de amigos e muita cerveja. Sem maldade nenhuma. Sou um homem de 60 anos, hoje vivo pra família e as amizades. Foi só zueira com os amigos. Deus te abençoe no seu trabalho.”

Agora, é só esperar o pedido de desculpas de mais este “corajoso” bolsonarista!

Mensagem de Wilderlim em que ele tenta explicar a conversa antipetista
Mensagem de Wilderlim em que ele tenta explicar a conversa antipetista

COMENTÁRIOS

3 respostas

  1. Não consigo entender essas pessoas, esse ódio de um partido que surgiu com a luta de trabalhadores…

  2. Maravilhoso! Votaram no lula com a ilusão de que nao precisam dos empresários. Que o governo vai sustentar suas vidinhas miseráveis. Apoio totalmente, a empresa são deles, eles fazem o que quiser. Estão achando ruim??Vai pedir empreguinho pro ladrãozinho de estimação de voces que está cagando e andando para seu eleitorado

POSTS RELACIONADOS

Sítio de Ricardo Nunes em São Paulo fica em loteamento irregular

Prefeito de São Paulo tem 13 lotes em Engenheiro Marsilac, na APA Capivari-Monos, mas apenas quatro estão em seu nome; De Olho nos Ruralistas iniciou série sobre o poder em São Paulo, “Endereços”, contando que ele não tem o hábito de pagar o Imposto Territorial Rural

Quem vê corpo não vê coração. Na crônica de hoje falamos sobre desigualdade social e doença mental na classe trabalhadora.

Desigualdade social e doença mental

Quem vê corpo não vê coração.
Na crônica de hoje falamos sobre desigualdade social e doença mental. Sobre como a população pobre brasileira vem sofrendo com a fome, a má distribuição de renda e os efeitos disso tudo em nossa saúde.

Cultura não é perfumaria

Cultura não é vagabundagem

No extinto Reino de Internetlândia, então dividido em castas, gente fazedora de arte e tratadas como vagabundas, decidem entrar em greve.