Diário do Bolso: em Alagoas, me vingando do Renan

Por José Roberto Torero*  Diário, ontem fui dar uma volta em Alagoas. Não tinha nada pra fazer lá. Mas, como o Renan Calheiros está me perseguindo na CPI da Covid, fui até o estado dele para me vingar.

Primeiro inaugurei um viaduto em Maceió que já tinha sido inaugurado em dezembro pelo filho dele, o Renan Filho, que é governador de lá (pô, preciso trocar o nome do meu Renanzinho; será que ele topa mudar pra Cloroquino?).

O melhor é que nem dei dinheiro pro tal viaduto em Alagoas. É tudo verba do tempo da Dilma e do Temer. E fui com o Collor, que é inimigo dos Calheiros. Aliás, Diário, no tocante ao Collor, estou ficando cada vez mais amigo do cara. Acho que a gente tem alguma coisa em comum, só não sei o que é.

Depois inaugurei um conjunto habitacional em Alagoas fazendo uma chave gigante de metralhadora. Eu estava junto com o prefeito, o JHC, outro inimigo do Renan. Eu gosto desse JHC porque quando chega vacina, ele agradece ao Ministério da saúde, e, quando falta, ele critica o governador. É assim mesmo que tem que fazer,talkei?

Depois fui pra São José da Tapera e inaugurei um trecho do Canal do Sertão que também já estava funcionando. Minha especialidade é inaugurar coisa usada, kkk!

Também aproveitei pra aglomerar, andar sem máscara no meio do povo e dar a mão cheia de ranho pro pessoal. Daqui a 15 dias os casos de covid vão aumentar lá e a gente vai por a culpa no Renan Filho, kkk!

Diário, saindo de Alagoas pro pântano (pegou essa? lagoa-pântano), a AGU (que não quer dizer Amigos do Genocida Unidos, como tão dizendo por aí) já pediu um “habeas corpus” pro Pazuello ficar calado na CPI da Covid. Mas em vez de “habeas corpus”, não devia ser um “fecheas bocas”?

Sei lá, não entendo muito de direito. Sou melhor em medicina.

José Roberto Torero é autor de livros, como “O Chalaça”, vencedor do Prêmio Jabuti de 1995. Além disso, escreveu roteiros para cinema e tevê, como em Retrato Falado para Rede Globo do Brasil. Também foi colunista de Esportes da Folha de S. Paulo entre 1998 e 2012.

#diariodobolso

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Diário do Bolso: “se gritar ‘pega Centrão’, não fica um”

O general Augusto Heleno, que cantou “Se gritar ‘pega Centrão’, não fica um, meu irmão…”, agora diz que o Centrão nem existe. Acho que ele vai trocar a letra dessa música pra alguma coisa assim: “Se gritar ‘pega Centrão’, o governo inteiro levanta a mão…”

Diário do Bolso: entupido e não cheirando bem

Os canhotos riem, mas esse meu entupimento veio bem a calhar. Como estou com cagaço de enfrentar essa CPI da covid, aproveitei o meu estado descocomentoso pra me fazer de vítima. Aquela foto de mim cheio de tubo já foi isso. Porque o meu marquetim é esse: quando não tô matando, tô morrendo.

Diário do Bolso: a esquerdalha ri do meu soluço, hic

Teve um sujeito que, hic, disse que o Lira tinha que botar o, hic, pedido de impitimem em pauta, que aí o susto, hic, ia me curar. E outro respondeu que melhor ainda seriadizer que, hic, tinham recuperado as, hic, mensagens do celular do Dominghetti.