Diário do Bolso: Cloroquito e a copa da morte

Eu sou totalmente a favor. A Copa ia ser um treco muito útil pra afastar a atenção da CPI da Covid. Também ia ajudar a aumentar a terceira onda e evitar manifestação nas ruas. E ia dar a ideia de que no Brasil tá tudo normal.
Cloroquito: símbolo de da insensatez bolsonarista na Copa América
Cloroquito: símbolo de da insensatez bolsonarista na Copa América

Por José Roberto Torero

Diário, estou tentando trazer a Copa América pra cá, mas a imprensa extrema está protestando.

Já estava tudo acertado com a Conmebol, tanto que eles anunciaram publicamente ontem. Mas a reclamação foi tanta que tamos vendo aqui.

Eu sou totalmente a favor. A Copa ia ser um treco muito útil pra afastar a atenção da CPI da Covid. Também ia ajudar a aumentar a terceira onda e evitar manifestação nas ruas. E ia dar a ideia de que no Brasil tá tudo normal.

Sem falar que a Globo perdeu os direitos para o SBT, e é sempre bom atrapalhar a Globo.

Outra coisa boa é que cada dia eu ia usar a camisa de uma seleção diferente. Menos a da Venezuela, claro, porque é um país comunista. E a da Argentina, porque é um país cheio de argentinos. E a da Bolívia, porque é um país com muitos índios. E a do Chile, porque a esquerda ganhou as eleições lá. E a do Peru, porque na reunião ministerial iam dizer que eu gosto de ver o Peru entrando com bola e tudo.

Bom, talvez eu use só a do Brasil mesmo.

Os times que são donos de estádios gostaram da ideia. Ninguém falou nada contra. Sempre posso contar com os cartolagem. São gente de bens.

Olha, Diário, vai ser um campeonato muito bacana. Estou falando com a Conmebol para acertar uns detalhes: vão permitir a tossida organizada, a competição será no sistema mata-mata e, se o jogo acabar empatado, a decisão será na morte súbita.

Meu pessoal de comunicação já pensou em tudo. A competição vai se chamar Cepa América, o mascote será o Cloroquito, uma caixinha de cloroquina com braços e pernas, fazendo embaixadinha com uma pílula, e a medalha vai ter o formato de um coronavírus.

Mas o melhor de tudo é que, depois da Copa América, a gente vai poder voltar a cantar aquela música que diz “Noventa milhões em ação, pra frente Brasil…”, porque o número vai estar certo de novo.

José Roberto Torero é autor de livros, como “O Chalaça”, vencedor do Prêmio Jabuti de 1995. Além disso, escreveu roteiros para cinema e tevê, como em Retrato Falado para Rede Globo do Brasil. Também foi colunista de Esportes da Folha de S. Paulo entre 1998 e 2012.

#diariodobolso

PS: Faltam só 3 dias para o fim da nossa campanha de apoio ao “Se tem gente com fome, dá de comer. O link é este: https://www.catarse.me/diariodobolsocontraafome.

copa da morte

COMENTÁRIOS

  • POSTS RELACIONADOS

    Diário do Bolso: “se gritar ‘pega Centrão’, não fica um”

    O general Augusto Heleno, que cantou “Se gritar ‘pega Centrão’, não fica um, meu irmão…”, agora diz que o Centrão nem existe. Acho que ele vai trocar a letra dessa música pra alguma coisa assim: “Se gritar ‘pega Centrão’, o governo inteiro levanta a mão…”

    >