Diário do bolso: a derrota nas eleições

Diário, tomei um nabo. Fizeram minha hemorroida de urna.Quase todo mundo que eu apoiei perdeu. E de lavada.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Diário, tomei um nabo. Fizeram minha hemorroida de urna.Quase todo mundo que eu apoiei perdeu nas eleições. E de lavada.

Por José Roberto Torero*

O Russomano, que estava disparado na liderança , acabou em quarto lugar. Mais uma semana e o cara não ia ter nem o voto dele mesmo nas eleisções. Em São Paulo estão dizendo que errar é humano, mas perder é Russomano.Quanta maldade…

E nas eleições…O desembargador lá de Santos levou uma goleada; o Coronel Menezes, em Manaus, tomou na cabeça; em Recife, a delegada Patrícia perdeu praqueles primos do PSB e do PT (isso é comunonepotismo!);e, em Belo Horizonte, o garoto que não aceitou a vitória do Biden não chegou nem a 10%.

Mas talvez a pior derrota tenha sido a do Carluxo, que é carne da minha carne, voto do meu voto. Na última eleição ele ficou em primeirão. Mas agora acabou perdeu 34% dos eleitores e ficou atrás daquele comunobeso do PSOL, o Tarcísio Motta. E a Rogéria Bolsonaro, minha ex-laranja, digo, ex-metade da laranja, nem se elegeu nas eleições.

A Wal do Açaí não teve nem trezentos votos em Angra. E a Paula Milani, que eu apoiei para vereadora em Curitiba, também dançou. Pô, virei o Íbis da política!

Ainda bem que a esquerda não se uniu no Rio de Janeiro pra botar o Freixo de candidato. Assim o Crivella foi pro segundo turno. Graças a Deus que existe a Universal. E graças à Universal que existe o Crivella.

Uma coisa ruim é que os canhotos foram para o segundo turno em vários lugares, tipo São Paulo, Porto Alegre e Belém. Pena que o Moro não está mais na ativa, senão ele dava um jeito de tirar o Boulos, a Manuela e o Edmílson da eleição.

Mas as absurdices não param por aí! Em Aracaju, a vereadora mais votada foi uma trans do PSOL. Curitiba elegeu a primeira vereadora negra, que ainda por cima é do PT. E elegeram até uns prefeitos indígenas pelo Brasil.

A coisa tá tão ruim que fui votar no Rio de Janeiro, segurei um menino loirinho (sem máscara, claro, que eu não sou mariquinha), e o garoto chorou e esperneou como se tivesse sendo atacado pelo Diabo. Nem deu pra fazer uma foto boa. Da próxima vez eu levanto um anão.

#diariodobolso

PS: Será que essa eleição foi a primeira dose da vacina contra mim? Ah, como eu odeio esse negócio de vacinação eleitoral…

*José Roberto Torero é autor de livros, como “O Chalaça”, vencedor do Prêmio Jabuti de 1995. Além disso, escreveu roteiros para cinema e tevê, como em Retrato Falado para Rede Globo do Brasil. Também foi colunista de Esportes da Folha de S. Paulo entre 1998 e 2012.

#diariodobolso

Crédito: Ivo Minkovicius

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Diário do Bolso: Cloroquinamigos

José Roberto Torero* CLOROQUINAMIGOS Diário, eu sou um sucesso como garoto-propaganda. Um sucessaço! O consumo de cloroquina no Brasil cresceu mais de 350%.   O

>