Desgoverno quer urgência para privatizar os Correios

Os correios tiveram lucro líquido de R$ 118 milhões em 2019 e até setembro de 2020, este valor era de R$ 850 milhões, podendo fechar o ano de 2020 com mais de R$ 1 bilhão de lucro.De 2000 a 2020, os correios devolveram ao cofres públicos dividendos de R$ 8,88 bilhões.

Os correios tiveram lucro líquido de R$ 118 milhões em 2019 e até setembro de 2020, este valor era de R$ 850 milhões, podendo fechar o ano de 2020 com mais de R$ 1 bilhão de lucro.De 2000 a 2020, os correios devolveram ao cofres públicos dividendos de R$ 8,88 bilhões.

Do site da FENTECT– Bolsonaro movimenta sua tropa de choque para avançar com a agenda privatista e tem como prioridade atacar os Correios. Hoje, foi incluído na pauta de votação de amanhã da Câmara dos Deputados um requerimento de urgência do deputado Hugo Motta (Republicanos/PB) para apreciação do PL 591/2021 que trata da privatização dos Correios! Isso significa que a base do governo quer acelerar a votação desse projeto nefasto para entregar o patrimônio público e o serviço postal brasileiro nas mãos do capital privado

FENTECT ( Federação nacional dos trabalhadores  em empresas de correios e telégrafos e similares) repudia decreto presidencial que inclui Correios no Programa Nacional de Desestatização

Na noite dessa terça-feira (13/4), o presidente Bolsonaro publicou decreto que inclui os Correios no Programa Nacional de Desestatização. Essa medida é mais uma ação do governo federal para privatizar o serviço postal brasileiro.

De acordo com o secretário-geral da FENTECT, José Rivaldo, a medida vai contra os interesses públicos e busca entregar um patrimônio centenário do povo brasileiro a iniciativa privada. ”Os Correios são essenciais para a população. É uma garantia constitucional. A privatização dos Correios irá prejudicar o povo brasileiro, principalmente, aquelas pessoas que vivem distantes dos centros urbanos que não poderão ter mais acesso ao serviço postal. A venda dos Correios só vai beneficiar o mercado privado em detrimento do povo brasileiro”, declarou.*

Em fevereiro, o presidente Bolsonaro enviou ao Congresso Nacional o Projeto de Lei 591/21, que autoriza que os serviços postais possam ser explorados pela iniciativa privada. Para o secretário-geral da Fentect, essas ações buscam precarizar o serviço postal brasileiro, já que irá encarecer as taxas postais.

Além disso, Rivaldo lembrou ainda da importância dos Correios em outras áreas como na entrega de livros didáticos, nas urnas eletrônicas nas épocas de eleições e das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em todo o país. “A Fentect permanecerá na luta contra a venda dos Correios, mas precisamos do apoio da população e dos parlamentares para que essas propostas não sejam aprovadas e a nossa empresa possa continuar sendo um patrimônio do povo brasileiro”, afirmou.

Faça pressão contra este absurdo:

http://www.fentect.org.br/noticia/fentect-repudia-requerimento-de-urgencia-para-votacao-do-pl-59121/

Contra a privatização dos correios

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

>