Candidato negro a deputado federal tem mensagem racista pichada no muro de sua casa

Damazio Santana dos Santos, conhecido como Mazo (PSB), denunciou a ofensa racista para a polícia na última quarta-feira (21)
Mazo (PSB) é vítima de ato racista. Foto: Reprodução.
Mazo (PSB) é vítima de ato racista. Foto: Reprodução.

O candidato a deputado federal pelo PSB, Damazio Santana dos Santos, conhecido como Mazo, denunciou em suas redes sociais que foi vítima de ato racista na última terça-feira (20). Foi pichado no muro de sua moradia, em Feira de Santana, a frase: “Fique na senzala”. Ainda não há suspeitos do crime. 

Por: Dani Alvarenga

De acordo com Mazo, foi uma vizinha quem alertou sobre o que havia sido escrito na parede. Ele e sua mãe estavam na parte de frente da residência quando a mulher, que passava na frente da casa, o avisou sobre a mensagem racista. Inicialmente, Mazo cogitou não denunciar o caso, mas fez um boletim de ocorrência na última quarta-feira (21).  

Em entrevista para o G1, ele contou que acreditava que o caso seria minimizado pela polícia por não ser filho de nenhum famoso ou figura pública importante. No entanto, com a repercussão nas redes sociais, Mazo se preocupou com a possibilidade da ofensa racista ocorrer com outras pessoas. Ele foi acompanhado do presidente municipal do PSB, Beto Tourinho, o qual também é advogado. O caso vai ser investigado pela Polícia Civil da Bahia. 

Mazo ainda relatou que não é a primeira vez que recebe ofensas e ameaças durante a campanha. Nas últimas duas semanas, o candidato relatou ter recebido telefonemas anônimos em pelo menos três ocasiões com insultos racistas. De acordo com Mazo, afirmaram que ele não deveria entrar na política e falaram sobre a cor de sua pele. 

“Eu acho isso muito pequeno, é muito chato e acaba despertando alguns gatilhos na gente de coisas que aconteceram ao longo da vida”, desabafou em sua rede social sobre o ataque racista.

Mazo concorre às eleições pela primeira vez. Ele trabalhou distribuindo panfletos em semáforos, foi vendedor de loja de shopping e atuou como produtor de eventos. Formado em publicidade, ele passou a se interessar em ocupar um cargo público em 2017, quando a polarização na política do país passou a ficar mais acentuada.

O candidato a deputado federal afirma ainda que consegue manter diálogo com ambos os lados: eleitores de Lula e de Bolsonaro. No entanto, pretende dar maior destaque para pautas sociais, em especial as questões raciais, durante seu mandato.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS