Campanha de Lula aciona TSE contra site de fake news financiado por Bolsonaro

Após denúncia dos Jornalistas Livres, campanha acionou TSE e pediu multa máxima por conduta proibida

A campanha do Lula (PT) entrou com uma representação junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta quinta-feira (15) pedindo a retirada do ar do site de fake news “Lulaflix” que, conforme denunciado pelos Jornalistas Livres na última terça-feira (13), reúne dezenas de mentiras sobre o ex-presidente. 

Pago pela campanha de Jair Bolsonaro, o site entrou no ar no último domingo (11), faltando 20 dias para o primeiro turno das Eleições de 2022. A página foi financiada pelo CNPJ da Coligação Pelo Bem do Brasil (Partido Liberal, Republicanos e Progressistas). 

Para divulgar o site de mentiras, Bolsonaro pagou anúncios no Google. Ao escrever “Lula” no buscador, Lulaflix aparece como primeira opção, com a mensagem “Pago por ELEICAO2022 JAIR MESSIAS BOLSONARO PRESIDENTE”. 

A campanha de Lula pediu ao TSE que seja aplicada à campanha de Bolsonaro a multa máxima pelo “impulsionamento de propaganda negativa” contra a candidatura de Lula, o que, segundo seus advogados, é expressamente proibido. 

“Entre as fake news impulsionadas pelo site, está a que associa o ex-presidente Lula ao PCC. No início do mês de setembro,  o próprio TSE já aplicou multa a Bolsonaro e determinou a exclusão de conteúdos falsos, que ligavam o candidato Luiz Inácio Lula da Silva à facção criminosa”, argumenta a coligação.

“A bem da verdade, todas as publicações do site, sem exceção, realizam propaganda negativa contra o candidato Luiz Inácio Lula da Silva. O conteúdo de cada uma das postagens na página impulsionada pelos adversários diretos do candidato da Coligação Brasil da Esperança é movido pelo estratagema de distorcer eventos ou descontextualizar informações para sustentar críticas infundadas ao ex-presidente Lula”, informam os advogados da campanha de Lula.

SUBTÍTULO:  Má-fé 

A escolha do nome não foi aleatória. Lulaflix, referência ao site de streaming Netflix, remete a um site que reúne uma biblioteca de vídeos sobre Lula, mas ao acessar a página, o usuário se depara com uma série de posts, criados todos num mesmo dia, com distorções e mentiras sobre o ex-presidente. 

Em consulta sobre o site, Jair Bolsonaro aparece como dono da página, inscrita sob o CNPJ 47.508.748/0001-63 e alimentada pela Agência Magic Beans Comunicação LTDA.  Em nome de Lucas Allex Pedro dos Santos, a produtora de conteúdo foi criada em 2020. 

Em uma das fake news, o site diz que Lula não foi inocentado nos casos em que era processado. O ex-presidente foi absolvido nos casos: tríplex do Guarujá, sítio de Atibaia, terreno do Instituto Lula e doações ao instituto, quadrilhão do PT I e II, Delcídio, palestras, Lei de Segurança Nacional, acusações sobre seu filho e seu sobrinho, Carta Capital, MP 471, Guiné, BNDES Angola, Costa Rica Léo Pinheiro, Caças Gripen, obstrução de Justiça, sonegação de impostos e ministrão. 

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS