Bruno Ramos, da Liga do Funk, comenta ao vivo para os Jornalistas Livres, o caso do assassinato racista de Pedro, no Extra

Logo mais, Bruno Ramos comenta ao vivo em nosso Facebook, o caso do assassinato racista de Pedro Gonzaga, no hipermercado Extra, no RJ.

Bruno nasceu e foi criado na Zona Leste de São Paulo. e
É produtor cultural, articulador nacional do Movimento Funk, estudante de Sociologia e Política e conselheiro do Conselho Nacional da Juventude. Foi vice-presidente da Associação Cultural Liga do Funk, espaço em que articulou importantes vitórias para a cultura periférica como o projeto social Morada da Liga.

Em 2018, com o iminente avanço de bandeiras retrógradas, concorreu pela primeira vez a um cargo público. Tomou essa decisão por achar que já passou da hora de ter o povo ocupando espaços de poder. “A rima é mais ou menos essa: aproximar o povo das decisões, no papo-reto e no respeito. Caminhar junto e mostrar que, sem nós, não tem Brasil. Não é mais representar as periferias no Congresso. É a hora de levar as quebradas lá pra dentro.”

 

Assista:

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS