Ato na Paulista pede fim do “governo da morte”

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O “Ato Contra o Governo da Morte” reuniu cerca de 150 pessoas, neste sábado (13/06), na avenida Paulista, pedindo o fim do governo Bolsonaro e prestando homenagem às vítimas da ditadura e do Estado, através da violência polícial e das políticas irresponsáveis diante da pandemia do Covid-19.

Respeitando o distanciamento social de 2 metros, os manifestantes ocuparam uma pista da avenida e seguravam fotos em preto e branco com retrato das vítimas. Em determinado momento se ajoelharam e levantaram o punho em protesto contra o racismo. Faixas com frases “Fora Bolsonaro”, “Vidas Negras Importam” e “Estado Genocida”, também foram estendidas pelos manifestantes.

O Deputado Federal Glauber Braga (PSOL-RJ), que foi ao ato com a também Deputada pelo PSOL, Sâmia Bomfim, afirmou ser “fundamental fazer com que o fascismo continue dando um passo atrás, porque a gente não pode mais recuar e temos que enfrentar essa política de morte do governo de Jair Bolsonaro. O grito por democracia é um grito de sobrevivência”.

O ato foi organizado pelo Grupo de Ação, um grupo apartidário e espontâneo de ativistas, artistas, advogadas, professores, profissionais de saúde, estudantes, editoras e comunicadores.

Veja as fotos:

COMENTÁRIOS

  • Que lindoooo!Orgulho hoje dessas pessoas que sabem da importância de lutarmos por liberdade e respeito.Pena estar trabalhando faltou euuuuuu……

  • Parabéns a esses guerreiros, que estão lutando em favor de quem não pode ir pra rua, e para tbm os que não querem ir. Tenham a minha gratidão.

  • – Lembro à Nação que, por decisão do STF, as ações de combate à pandemia (fechamento do comércio e quarentena, p.ex.) ficaram sob total responsabilidade dos Governadores e dos Prefeitos.

    – O Presidente da República alocou centenas de bilhões de reais não só para combater o vírus, bem como para evitar o desemprego.

    – Cada mês pago do auxílio emergencial de R$ 600,00 corresponde a despesa na ordem de R$ 40 bilhões para a União.

    – Ao lado disso forças nada ocultas, apoiadas por parte da mídia, açoitam o Presidente das mais variadas formas para deslegitimá-lo ou atrapalhar a governança.

    – Com fé em Deus e no povo, Jair Bolsonaro seguirá seu destino de melhor servir ao país.

  • Mesmo o Presidente decretando estado de emergência na saúde pública pó causa do COVID 19 que já estava se espalhando pelo mundo, os governadores não cancelaram o carnaval!
    https://www.bbc.com/portuguese/brasil-51365332

    Conclusão No dia 28 de fevereiro O Ministério da Saúde acompanhava até o meio-dia (28) 182 casos suspeitos de covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus SARS-CoV2), aumento de 50 casos em relação a o dia 27

    https://noticias.r7.com/saude/sobe-de-132-para-182-numero-de-casos-suspeitos-de-coronavirus-28022020

  • Gostaria de ter o contato desse Grupo de Ação para sabercquando haverá mobilizações desse perfil.

  • O presidente inominável é o maior responsável pelas mortes que ele celebra com júbilo. O STF não isentou o presidente genocida de tomar atitudes para combater a pandemia, apenas não deu a ele o direito de impedir que governadores e prefeitos tomarem as atitudes responsáveis para impedir a propagação do vírus. Esse genocida, covarde, fascista que está no governo federal é o responsável pelas atuais73.000 mortes de brasileiros. Quem defende esse ser imundo também é responsável pela destruição de nosso país.

  • POSTS RELACIONADOS

    >